* Com Uyara Teixeira

O circo da moda não para. O Veste Rio emendou com o Minas Trend que, mal terminou nesta noite de sexta (20/4), já conduz os olhares fashionistas para a São Paulo Fashion Week, que começa no sábado (21/4) com desfile da Água de Coco e a presença de Anitta. De olho nas tendências, ÁS garimpou as principais apostas das grifes na passarela da moda mineira. Confira:

Efeito Copa: em ano de Copa do Mundo, as influências esportivas gritam. Okay. Dessa vez, a presença de shapes originários do esporte, com modelagens funcionais – como parkas e kabans -, é praticamente figurinha fácil nas coleções. O fresh fica por conta do aproveitamento dessas formas em materiais tecnológicos translúcidos, como plásticos e vinis, ou em matérias-primas nobres como organza e gazar. E pode até rolar uma aplicaçãozinha aqui e ali, dando continuidade à febre dos patches. Luxo!

Esporte chic no Minas Trend: da esquerda para a direita, Chocker, Plural, Skazi, Manzan e Molett (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Listras: é o novo pretinho básico da temporada. Bom, todo verão as listras comparecem, não é mesmo? Nem que seja numa levada náutica, um clássico da moda. Então, dessa vez, talvez impulsionadas pelos ventos esportivos de um ano de Copa do Mundo, quem sabe pelo aspecto comercial da padronagem – uma boa solução de consumo em tempos de crise – eis que elas surgem em todas as direções: horizontais, verticais, nas diagonais. Listre-se!

Listras no Minas Trend: da esquerda para a direita, Anne Est Folle, Natalia Pessoa, Skazi, Molett e NotEqual (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Monocromia: a vibe do look total numa única cor permanece como influência do minimalismo noventinha que ainda dá as caras nessa quase virada de década, ao lado da releitura de outras. Uma boa solução para se vestir bem em tempos de crise, sem precisar pensar muito. Para incrementar sem cair na monotonia, vale detalhar as peças com golas, debruns e vieses contrastantes ou mesmo optar pelo mix de padronagens na mesma cor ou família de cores!

Monocromia no Minas Trend: da esquerda para a direita, Skazi, Plural, Virgílio Couture, Chocker e Natalia Pessoa (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Monocromia no Minas Trend: da esquerda para a direita, Skazi, Manzan, Natalia Pessoa, Molett e Fátima Scofield (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Colorblocking: sim, ele voltou! A febre das massas de cor em combinações contrastantes, com cara de gibi, talvez seja o único grande aspecto que colou de uma influência que parecia querer repaginar a moda com ares de pop art e que na prática não rolou. É válido lembrar que, no inicinho da década – lá por 2011, 2012 – os blocos de cores foram uma tendência das passarelas que pegou com força total e, ao que tudo indica, agora pode bisar. Vamos ver na vida real! Se o fashionista não ficar com cara de figurante de quadrinhos de Dick Tracy, pode dar certo…

Colorblocking no Minas Trend: da esquerda para a direita, Manzan, Chocker, Plural, Skazi e Virgílio-Couture (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Alfaiataria: não dá para pensar em evento de moda em Minas sem pensar nela. Nem só de tricô, aplicações e acabamentos artesanais vive BH, que também prima pela boa modelagem dessa fornada de peças. Dessa vez, a alfaiataria se mescla aos brilhos e transparências e, por vezes, surge desestruturada, mais molenga, fluida, conforme a cartilha dos anos 1980.        

Alfaiataria no Minas Trend: da esquerda para a direita, Skazi, Lucas Magalhães, Chocker e Natalia Pessoa (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Transparência + brilho: é como se as vênus cintilantes da Hollywood art déco saltassem da tela direto para a passarela. Truque usado pelos figurinistas  dos thirties para driblar a censura à nudez no cinema, o mix de transparência com materiais brilhantes confere a exata combinação de luxo e leveza essencial no verão!    

Transparência + brilho no Minas Trend: da esquerda para a direita, Anne Est Folle, Natalia-Pessoa, Skazi, Molett e NotEqual.(Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Vestidos e saias com pontas: não é de hoje o gosto dos estilistas pela assimetria nessas últimas temporadas. A novidade agora fica por conta, sobretudo, de pontas nas saias e vestidos quebrando qualquer indício de monotonia. Uma referência dos seventies, que andam dominando as coleções ao lado dos eigthies. Em destaque, a modelagem de lenço que confere volume à fluidez que agora é forte.

Assimetria nas saias e vestidos do Minas Trend: da esquerda para a direita, NotEqual, Anne Est Folle, Lucas Magalhães, Skazi e Natalia Pessoa (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Brancas nuvens: é, deu branco de novo! Essa é outra influência que continua permanecendo nas passarelas, vindo de outras estações. Seja em monocromia, misturado com marinho em resultado navy, em tecidos brilhantes ou em looks meio hipongas, a presença constante da cor nas coleções parece traduzir o desejo na moda de limpar a alma, de fazer o Brasil corrupto passar por um Omo Total!

Branco no Minas Trend: da esquerda para a direita, Chocker, Anne Est Folle, NotEqual, Plural e Skazi (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Plissé bacanudo: quase uma unanimidade são agora os plissados, que compareceram em peso nas coleções. Uma belezura que, quando não remete ao passado – como no vestido neo New Look de Juliana Paes para a Skazi (abaixo à esquerda), quase uma releitura do modelito safadinho usado por Marilyn Monroe na famosa cena do bueiro deO pecado mora ao lado” -, aparece em materiais com efeitos moderninhos que renovam sua força.

Plissados no Minas Trend: da esquerda para a direita, Skazi, Manzan, Chocker, Virgílio Couture e Fátima Scofield (Fotos: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.