“Vai ter GG na passarela!”. Com esse grito de guerra, Preta Gil encerrou o desfile de Victor Dzenk na noite deste terceiro dia do Minas Trend (5/4), fechando a rodada de desfiles desta edição. Ela apresentou a linha Preta Gil por Victor Dzenk”, desenvolvida em parceria com o estilista. Mas o brado não ficou somente nisso. A moça continuou: “Quem queeeeeer mulher real na passarelaaaaa?”, desafiou a turma fashionista, para quem até comer um acelga pode ser ato de repúdio, caso este venha a engordar o shape. O público se esbaldava com a postura descontraída da moça, que surgiu iconoclástica no catwalk pronta para derrubar tabus, como uma espécie de Chacrinha tropicalista que pergunta à plateia: “Queeeem vai quereeeeer a mandioca da Maria Bethâaaania? Momentos antes do desfile, Preta bateu aquela papo-vida com ÁS no backstage. Confira!

Preta Gil incendeia a passarela da 20ª edição do Minas Trend, disposta a transformar a moda tradicional em cinzas: numa apresentação não convencional, a artista incitou o público a se levantar, incitou os fashionistas a abrirem mão dos paradigmas da magreza e, diante de tanta irreverência, só faltou fazer pole dance… (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Tipo auditório de TV aberta: com microfone em punho, Preta Gil canta enquanto as modelos desfilam sua linha de roupas, com direito a frases de efeito, mas sinceras. “Começou uma revolução na moda”, disparou a performer para a plateia de um Minas Trend pronto para abraçar suas ideias (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Saem as tops, entra gente que faz na passarela: entre a modelista mais antiga de Victor Dzenk, sua mãe e sua tia, Preta Gil ladeia o designer com a força de uma pororoca fashion (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

“Como foi essa questão de lançar coleção, Preta? Como surgiu?”. Indaga ÁS. A gata-garota vai direto ao pote: “Ué! Somos amigos há mais de dez anos, todo mundo sabe que eu amo a roupa, a modelagem, os prints do Victor… Ao lado, o estilista emenda: “As silhuetas, a coleção, tudo foi montado a partir do  guardarroupa da Preta, o que ela gosta, o que ela compra. Os caftãs e túnicas, os sequinhos que valorizam a mulher mais encorpada, mas sexy, que mostra o colo. Por exemplo, ela ama cache-coeur. Olha este aqui…”, dispara pegando a última peça na ordem da arara.

Como um satânico Dr. No (vilão de James Bond, amor!), ÁS enverga o rubro pronto para ruborizar Victor Dzenk e Preta Gil ao apurar a real autoria da linha desta desenvolvida pelo primeiro. Mas, sabe o que ele descobriu? Que a dupla é tão afinada que seria impossível os dois não criarem uma coleção lado a lado! (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Bonde da Sustância: ao lado de modelos com silhuetas nem tão secas assim, Preta Gil celebra sua linha para fashionistas encorpadas, com medidas mais reais, criada a quatro mãos com Victor Dzenk. E solta seu grito de guerra: “Vai ter mulher real na passarela siiiiim!” (Foto: Sergio Caddah / FOTOSITE / Divulgação)

Preta Gil por Victor Dzenk: de tão afinados, poderiam ser Preta Dzenk ou até Victor Gil. Depois de uma década de amizade, a cantora lança linha de roupas junto com o amigo no Minas Trend, na qual as estampas e cores típicas do estilista (que ela ama!) comparecem naquelas modelagens perfeitinhas para quem não se contenta com endívias no almoço ou não nasceu com a genética de Tilda Swinton (Foto: Sergio Caddah / FOTOSITE / Divulgação)

Dada a largada no bate-papo, ÁS quer ir direto ao ponto: afinal, ela desenha? Dá pitaco? Ela participa da coleção, ou Victor é uma espécie de ghost designer, como aqueles escritores que têm muita expertise em texto e escrevem as autobiografias assinadas por famosos? Victor é o primeiro a saracotear no tema: “Somo muito amigos, temos uma sinergia de muitos anos, nos conhecemos bem. A intimidade impera. Óbvio que Preta participa completamente da coleção.  E Preta vaticina: “Ora, se não entro na criação!?! Logo eu…”

E vai logo concluindo: “É preciso democratizar a moda, globalizar os shapes, multiculturalizar os corpos, com sua diversidade de formas e jeitos. E decreta com jeito de Pancho Villa: “Começamos uma revolução!”

Alegria ao cubo: Victor Dzenk celebra sua grife, a grife mais jovem criada com a sobrinha há três temporadas e a nova linha desenvolvida ao lado da amiga Preta Gil (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.