Aline Salcedo

Ela se dedica às maratonas, no esporte outdoor e na redação: foi repórter, editora e coordenou eventos nas revistas CARAS e Contigo!, cobriu a Olimpíada de Londres, colaborou com Bruno Astuto e produziu entrevistas para o Superbonita e globo.com. Indicada ao Prêmio Abril de Jornalismo em 2010 na categoria ‘Melhor Entrevista’ (Ivo Pitanguy), extrai de famosos – como Antonio Banderas e William Bonner – declarações trancadas na alma. Sim, ela é intensa! Daí o lema, emprestado de Einstein: “A curiosidade é mais importante do que o conhecimento.”

André Sank

Detentor de percepção arguta, fina ironia e de um desenho de mandíbula digno de super-herói, o jornalista é responsável por belas capas de publicações como Playboy e Vip, nas quais destrincha o perfil de mulheres que importam. Mas ele não se prende apenas a esse tipo de cobertura, escreve sobre o que lhe dá na telha. Geralmente, assuntos relacionados ao mundo das celebrities ou sobre belas afrodites, tema que acredita interessar a mais leitores. Tudo, claro, com a leveza da hora do recreio. “Só que sem Mirabel”, afirma. “Não é do meu tempo…”

André Vagon

Crítico de espetáculos, ele iniciou a carreira como bailarino e fez um pouco de tudo: jazz, dança contemporânea, musical de teatro, companhias de balé, festas temáticas, atrações infantis na TV como “TV Colosso”, programa da Xuxa e até especiais tipo “Criança Esperança”. Com o tempo, se tornou coreógrafo e dedica parte do seu tempo a montar performances e flash mobs para eventos corporativos e a lecionar dança – uma paixão! -, sendo pós-graduado em psicomotricidade, outro assunto que lhe tira faísca dos olhos. Para ele, a vida é puro movimento.

Bruno Muratori

Carioca de nascença e cidadão do mundo, Bruno Muratori vive a saga da reinvenção. Em 2009, saiu do Brasil para morar em Paris e se tornou produtor de festas. Depois foi para Lisboa, desvendou a terrinha para os brazucas e renasceu como um porto seguro, fornecendo preciosas dicas da night na metrópole. Há dois anos, retornou ao Rio, trabalhou com publicidade, marcou presença e colaborou com sites de comportamento. Agora de volta à Europa, faz a ponte entre a cultura mainstream de lá e aqueles badalos com jeitinho de alcova.

Bruno Soares

Quem nunca encontrou Bruno Soares nos backstages das semanas de moda, cuidando de tops como Shirley Mallmann e Aline Weber? No meio há mais de 20 anos, foi respeitado agente de modelos e até já fez parte do time: aos 18 anos – enquanto cursava a facul de Direito –, foi convidado para fazer sessão de fotos com Bob Wolfenson. Deste primeiro trabalho, ganhou o mundo no métier. Entres as passarelas, o moreno cursou fotografia na S.V.A. School of Visual Arts e agora ressurge como fotógrafo, assinando ensaios para o Ás na Manga.

Cris Guerra

Publicitária metamorfoseada em jornalista, escritora talentosa e blogueira tatuada de opinião firme, Cris Guerra tem conteúdo. Concilia a visão da profissão com a vida de mãe, mostrando que suas muitas personas se encaixam no hibridismo pós-moderno. Criadora do blog “Hoje vou assim” e autora do livro “Moda intuitiva”, a mineira sabe associar o look do dia com informações valiosas, enveredando até por canal no YouTube. Com ar de bonequinha de luxo contemporânea, não se intimida com carão e fala o que pensa. Sin perder la ternura jamás, mas fala…

Daniel Benassi

Quem conhece Daniel sabe o quanto ele pode surpreender. Fotógrafo de moda e artista urbano, migra de um estúdio fotográfico ao grafite de um painel, celebrando a vida com bambas como Toz e Marcelo Ment. Ou criando móveis ao lado de Zanine de Zanini, companheiro de pirações. O que faz eclodir sua veia criativa é o amor pela arte. Tanto que o escorpiano é purista. Sabe que é importante sobreviver no mercado, mas não negocia princípios. O que vale para esse carioca é a essência, o que o torna às vezes bastante cri-cri. Característica dos gênios.

Fabíola Fantinato

Paulista criada em Porto Alegre, ela se fez na capital fluminense. Desde então alimenta paradoxos: transita pelo basfond, mas é casada desde os 1980’s; curte as benesses da sociedade tradicional, mas é aberta ao novo. E se locomove com a desenvoltura de quem sabe receber sem dispensar a vida boêmia, podendo deglutir litros de um bom vinho como se fossem meras borrifadas de água termal. Da Elle Brasil à imagem do Telecine, já fez de tudo, conhece todos e verteu a ponte Rio-Lisboa em seu quartel general, de onde colabora com publicações europeias.

Fátima Telles

Com artigos publicados nas principais revistas do país, blogs e sites, a jornalista tem bagagem em mídias digitais e content marketing, fazendo da delicadeza seu trunfo para extrair depoimentos das celebrities. Mas não se deve nunca confundir seu aspecto doce com serenidade. Amante de programas de viagem, a carioca é fogo na roupa! Sagitariana com ascendente em áries, defende as filhas com ímpeto de mãe-ursa – “elas são tudo para mim!” – e vai da água para o vinho: saboreia um suco de melancia na voracidade com que se entrega a churrascos.

Flavia Guerra

15 anos como repórter de cultura no Estadão lhe conferiram percurso: é editora do TelaTela e colunista de cinema do canal Arte 1. Roteirizou, produz e dirige projetos de filmes e docs, foi assistente de direção de curtas como “O Caminhão do Meu Pai” (pré-finalista ao Oscar 2015) e atualmente participa da série “Brasil Visto do Céu”. Entre o cinema e a moda, publica matérias nas principais revistas do país e já cobriu eventos da Sétima Arte como Cannes, Berlim e Veneza, entrevistando personalidades como Al Pacino, Martin Scorsese, Francis Ford Coppola e Brad Pitt.

Lou Bittencourt

Conhecidíssima pelo bom gosto ímpar e o temperamento de leonina arretada, Lou trabalhou com arte-educação antes de se aventurar pelo universo do jornalismo. Como produtora de gastronomia de O Globo há mais de 20 anos, articula editoriais bacanas e coleciona amigos dentro e fora da redação, abrilhantando o visual de inúmeros eventos e é a alegria dos chefs. Com seu savoir vivre impecável, usa a simplicidade chique para tirar leite de pedra e transformar aquela produção de uma mesa em Festa de Babette, como uma espécie de guru bem-nascida.

Luciana Avelino

Com 20 anos de profissão, a mineira se excede no joie de vivre, mas mantém a classe. Transita tão bem em universos distintos quanto arquitetura, decoração, moda, cultura, gastronomia, bem-estar e turismo, tendo passado pelas diversas redações belo-horizontinas. Fora do trampo, não vive sem seus xodós – crianças e animais –, e exerce o lado mãezona. Dizem até que o gato de rua adotado Luigi mia para só fazer coro com o filho Bernardo. Logo, logo a loura lança site homônimo, no qual também vai abordar poesia e crônicas – outras paixões.

Marina Felfelli

Ela é pura celebração. Entre o Rio e SP, a jornalista se esmera em abrilhantar badalos com sua figura iluminada, humor impagável e savoir vivre de quem nasceu em berço de ouro, contagiando todos com seu bom humor. Mas Marina não se contenta apenas com fairplay; domina os meandros da Sociedade do Espetáculo, sempre transformando suas aparições em presença cênica de primeira grandeza, deixando claro para os minimalistas que menos nem sempre é mais. E, entre os múltiplos talentos, sabe envergar acessórios que só poderiam funcionar nela mesma.

Melissa Jannuzzi

Ela sabe tudo sobre bom gosto. Além de chique (e linda!), domina como poucos a arte de olhar para roupas, itens de decoração e objetos variados, identificando tendências que tem cacife para se tornarem preciosidades, daquelas nas quais vale a pena investir. Jornalista e produtora, se dedica à atividade de consultora de estilo e  coleciona ótimos posts que revelam o sumo da moda para a rapaziada antenada. Com um pequeno detalhe: cosmopolita, não se prende apenas a um certo tipo de público, abrindo o leque garimpando novidades para todas as tribos.

Raphael Jacques

A cabeça de Raphael Jacques é como um tsunami prestes a varrer o planeta-noite. Artista visual, performer, integrante do Drag-se e criador de Alma Negrot – alterego que autodesigna como uma ciborgue voodoooqueen, do tipo que incendeia badalos – o rapaz estudou arte na UFRGS, mas caiu no mundo, ficando hoje entre Rio e SP. Quando dá expediente na Cidade Maravilha, parece um alien cibernético pronto a consumir a energia telúrica da urbe. Para ele, a performance engloba atitude política transformadora: “Sou conta a binariedade de gênero”, afirma.

Sergio Caddah

Piauense com veia brasileira, ele modelou e foi papai-garoto antes de virar fotógrafo. Depois de anos no Rio, migrou para São Paulo, casou e teve mais dois filhos, dos quais é corujíssimo. Quem o conhece dos estúdios, externas, semanas de moda e shows de rock nem imagina o quanto esse lado pode andar ao lado do apreço pela transgressão. Caddah é heavy metal, mas nunca heavy duty, e essa mélange faz dele uma criatura incomum. Esteta nato, sua alegria transborda no set e permite ponto de observação único, que sempre rende belas imagens.

Sylvia de Castro

Jornalista com paixão que transcende a carteirinha, já escreveu até livros infantis numa época em que a palavra teen ainda não fazia sentido. Entre passagens por importantes jornais cariocas, coleciona mais veículos no currículo que a maioria dos seus pares. Nas publicações mensais, editou quase de tudo, mas também se entregou ao colunismo social, desenvolvendo olhar crítico que lhe permite enxergar o mundo com o distanciamento necessário para compreendê-lo, mas com a ternura de quem entende a natureza humana, sem julgá-la.

Thaís Amormino

Amante de caftãs estampados, óculos graúdos e da dolce vita, trocou o Rio pela Itália. Circula entre Roma, Costa Amalfitana, Egito, São Paulo e a Cidade Maravilha com a desenvoltura de quem sucumbiu à crise do petróleo, mas persiste no imaginário geral. Se tivesse vivido os anos 1920, rivalizaria com Pagu; se transitasse pelos 1970, trocaria dicas com Marisa Berenson. Mas, como o despertador apitou tarde para ela no calendário do grand monde, borbulha por onde houver frisson, exalando sua verve nefelibata e tocando o site italyluxe.com.

William Vorhees

Nasceu no Rio e saca tudo da urbe. Passou infância na Funabem, viajou o mundo como atleta e conhece pessoas de todos os cantos, as quais impressiona com sua elegância. Tem faro para o que vale a pena, independente do rótulo de origem. Após recepcionar celebrities como Will Smith, Kim Kardashian e Kanye West, foi eleito pelos jornais como o representante do carioca way of life. Para ele badalo só é bom quando o sol é para todos. Assim produz agitos plurais como festas de Iemanjá, chegada do verão e até o Réveillon de Ipanema.

Zeca Santos

Ex-nadador olímpico, Zeca viajava em competições oficiais exibindo um abdômen-tanquinho que desapareceu quando virou fotógrafo e se encantou pela noite. Quem o encontra nas baladas nem desconfia que a disciplina faz dele um dedicado professor de biologia, tipo uma identidade secreta. Com 1,90m e voz potente, chama atenção das tops nos backstages e celebrities nos agitos, das quais sempre arranca ótimos flashes. E ainda é agente da equipe anti-dopping do COB, na qual usa sua vivência boêmia para se antecipar às maracutaias de competidores libertinos.