* Por Andrey Costa

A semana foi dela nas redes sociais. Azealia Banks, 25, é dona de um talento genuíno e capacidade de misturar com maestria seu canto de sereia com composições confidentes, ácidas, fortes. Após o lançamento de suas mixtapesFantasea”, “Mermaid Ball” e do EP 1991  entre 2011 e 2013, ela lançou seu aguardado disco de estreia “Broke With Espensive Taste” o qual, de tanto adiado, acabou levando-a ao caminho de volta: retornou à condição de independente e produziu o material sem ajuda de nenhuma gravadora. A espera resultou no álbum mais aclamado pela crítica em 2014 e sucedeu o hit 212”, que a arremessou no mercado musical mundial e chamou a atenção das poderosas do pop como Rihanna, Lady Gaga e Beyoncé. Assim, a moça se tornou promessa daquilo que havia de mais promissor na música negra, fugindo da sonoridade fabricada pelas grandes gravadoras, que segundo Azealia “constroem bonecos de plástico sem personalidade” ou “um hip hop vazio”.

Esse foi o turning point: quando a cantora, na época com 23 anos, percebeu que teria que ver, ouvir e engolir muita coisa goela adentro, e optou por uma postura agressiva e inconsequente para se expressar. Prato cheio. Sorrateira, a mídia tratou de ficar no seu encalço e, sempre que a sereia de cabelos coloridos mordia alguma isca, voilà: a menina era trucidada online sem pudor. Facinho. Afinal, era só ela abrir a bocarra de garoupa e mordiscar a minhoca que o anzol lhe feria os lábios e a alma. Agora, mais uma vez envolvida em polêmica, Azaelia Banks está novamente no olho de um furacão em em alto-mar, após (mais) uma confusão, dessa vez envolvendo os brasileiros. Por isso mesmo, para revelar quem é essa garota-problema, ÁS lista o top ten dos momentos mais audaciosos da moça, provando que, sim, há internet na favela. E que, barraco por barraco, nada se compara às marolas armadas na fenda do biquíni da artista. Confira!

Azealia Banks apresentando-se no Brasil durante o Planeta Terra Festival em junho de 2016. (Foto: DIVULGAÇÃO)

Tipo uma Ludmilla gringa, mas com dois detalhes: com ela não tem essa coisa de se passar por Kátia e, pior, quem quebra barraco é ela, amor. Azealia Banks apresentou-se no Brasil pela primeira vez durante o Planeta Terra Festival em 2012. (Foto: Reprodução)

1 – Azealia Banks xinga brasileiros após ataques racistas em seu Facebook e tem conta suspensa por acusações de xenofobia

Sem dúvida, a polêmica com os brasileiros que aqueceu a internet nesta semana abre o nosso top ten. Conhecidos pelo sangue-quente, os internautas tupiniquins invadiram todas as redes sociais da cantora com xingamentos racistas, após a declaração xenofóbica da moça que havia se apresentado no Planeta Terra Festival em junho de 2016. Tudo começou após um vídeo publicado em seu Instagram, onde Azealia mostrava o quarto onde sacrificava galinhas há 3 anos em prol da sua religião. Depois que recebeu ataques racistas, disparou: “Um bando de meninos brancos de um país com as piores políticas raciais não vão me xingar, quando não sabem nem sequer usar a língua que tentam me insultar!”, chamando os brazucas em seguida de “aberrações de terceiro mundo, que ao invés se preocuparem com a economia do Brasil, usavam as redes sociais para xingá-la de “black whore (vagabunda negra)”, sem ao menos saber usar o idioma que tentavam escrever”. Obviamente, o número de dislikes nos clipes da sereia aumentou drasticamente, fazendo naufragar sua popularidade no Brasil, sem que Bob Esponja e Lula Molusco pudessem fazer qualquer coisa. A cantora SIA, 41, também se manisfestou. Esse é o nosso gancho para a próxima polêmica da cantora.

Personalidade forte e sem filtros, Azealia Banks promete ser um dos assuntos mais falados em 2017. (Foto: DIVULGAÇÃO)

Kátia sem filtro: já na virada de 2017, Azealia Banks promete ser um dos assuntos mais falados do ano (Foto: Reprodução)

2 – Sacrífico de animais por conta de sua religião de matriz africana é criticado por internautas, incluindo a cantora SIA, que passa a ser alvo de xingamentos da cantora

Usuária assídua do Instagram, a artista usou a plataforma para mostrar o lugar onde sacrificava galinhas, denominando-se “bruja”. Logo, foi bombardeada de críticas de internautas e ONGs de proteção aos animais. Tais críticas endossaram o comentário de SIA, através de seu Twitter, dizendo: “Sacrificar animais para o seu benefício é a pior m@*&da que já ouvi. Siga em frente sendo incrível, tipo, com trabalho duro, por exemplo”. Óbvio que isso só provocou a ira de Azealia, que virou bicho, rebatendo em seu Instagram: “E sua cara feia e seca de mulher branca de inverno é a cara mais feia que eu já vi, deve ser por isso que você a esconde o tempo todo. Tenha alguma merda de respeito na porra da minha tradição religiosa africana, sua vadia branca.” SIA, que está no cativeiro de Beyoncé gravando seu próximo álbum, não se manifestou até agora.

Bafafá que deu origem à discussão com os brasileiros, teve origem na confusão envolvendo as críticas da cantora SIA ao sacríficio de animais feito por Azealia Banks. (Foto: DIVULGAÇÃO)

Macumbão polêmico: bafafá que deu origem ao bate-boca com os brasileiros teve origem na confusão envolvendo as críticas da cantora SIA (à esq.) ao sacrifício de animais feito por Azealia Banks “em prol de benefícios pessoais” (Foto: Reprodução)

3 – Ser político: após vitória de Donald Trump, Azealia Banks ri de Lady Gaga e Katy Perry e xinga Hillary Clinton de vaca no Twitter e a manda pastar

Na contramão da maioria dos artistas que declararam apoio à candidata Hillary Clinton, Azealia riu da derrota da de Hillary, chamando-a de "imprestável". (Foto: DIVULGAÇÃO)

A seapunk e o ogro: na contramão da maioria dos artistas que declararam apoio à candidata Hillary Clinton, Azealia riu da derrota da candidata democrata, chamando-a de “imprestável” (Foto: Reprodução)

Gargalhada macabra: seguindo os ataques às companheiras de profissão, Azealia Banks – ao saber que Lady Gaga, 30, e Katy Perry, 32, teriam sido vistas chorando as pitangas após a vitória de Donald Trump, 70, para a presidência dos EUA, – publicou em seu Twitter: “Gostaria de gargalhar bem alto na frente das duas, por acharem que conseguiriam influenciar as pessoas. Trump é meu herói por ter derrotado o “lixo” da Hillary Clinton, 69. A América merece algo melhor do que essa vaca!”. As declarações de Azealia sempre geram assunto, mas na época o presidente americano eleito acabou questionando de quem se tratava a fervorosa fã, mandando na lata: “É alguma ativista?”, no maior estilo “I don’t know her”, transformando-a em piada nas redes sociais.

4 – Batalha de rappers pelo Grammy: durante uma entrevista a cantora não poupou críticas e ofensas aos rappers Iggy Azalea e Macklemore 

Para Azealia, Iggy e Macklemore não são excelentes para ter um Grammy. (Foto: DIVULGAÇÃO)

Para Azealia, Iggy (à esq.) e Macklemore (ao centro) não dão tanto caldo assim a ponto de levaram para casa a laranja do Grammy. (Foto: Reprodução)

Iggy Azalea, 26, sempre foi desafeto. Azealia tornou-se a maior crítica do trabalho da rapper, acusando a branquela de apropriação cultural desde quando a beldade australiana entrou em cena. Iggy declarou ter sido a norte-americana responsável por ter transformado 2015 no pior ano de sua vida por ataques ininterruptos, como na entrevista concedida a rádio FM de New York Hot 97, especializada em música negra, quando lançou: “O álbum do Macklemore, 33, não é melhor que o álbum do Drake, 30. Essa m@&*da da Iggy Azalea não é melhor que qualquer garota negra que faz rap atualmente. Quando eles dão esses prêmios Grammy, deveriam reconhecer a excelência, Iggy não é excelente”. E continou: ao longo dos últimos anos, a Nicki Minaj, 34, fez muito para criar esta presença social… Lançando o “Roman Reloaded”, por exemplo. Aí vem a m@&*da da Iggy Azalea com o “Reclassified” […] Quando eles [Grammy] entregam esses prêmios, dizem às crianças brancas que elas podem fazer o que quiserem e ser o que quiserem enquanto mostram aos negros que o que eles fazem não vale nada. Isso me incomoda”.

Por sua vez, Macklemore afirmou haver verdade nas palavras de Azealia e não quis argumentar, mas Iggy não deixou barato e revidou dizendo que Azealia enxergava nela a única forma de manter-se na mídia, que ela era uma coitada. Rendeu. O último arranca rabo das duas rolou quando Beyoncé, 35, lançou seu famoso LEMONADE”, e Iggy não gostou da referência às mulheres brancas na letra da música Becky“, Bey não se pronunciou, mas Azealia não perdeu tempo e disse que ninguém queria saber o que a bunda grande e branca da Iggy achavam ou não sobre racismo reverso. Climão…

5 – Banks acusa Beyoncé de ladra criativa e disseminadora da solidão da mulher negra ao continuar mostrando em seu álbum de emponderamento “LEMONADE” o quanto ela ainda sofre por causa do marido Jay-Z

Segundo Banks, irmãs não roubam o trabalha da outra e fingem que é seu. Xiii... (Foto: DIVULGAÇÃO)

“Brother” é o car@&%io. Segundo Banks, irmãs não roubam o trabalho da outra e fingem que é seu. Xiii… (Foto: Reprodução)

Existe a suposição de que certos artistas estão acima do bem e do mal, tipo Pelé. Mas Azealia é barraqueira e não acredita nisso: ao escutar o álbum “LEMONADE” da Beyoncé, 35, correu para o Twitter e disparou no ímpeto: “Essa narrativa da mulher negra de coração partido que você insiste em fazer é a antítese do que é feminismo. Você canta sobre esse cara (Jay-Z, 47) há anos e ele continua brincando contigo. Isso não é força, é estupidez. Você fica chorando por um homem e perpetuando esse sofrimento da mulher negra triste e isso não é bom para aquilo que você quer alcançar”.

Em tempo de comoção: Azealia deu aos fãs fervorosos da Bey o biscoito que queriam mordiscar e eles rebateram sem dó: “Ironicamente, o que você está tentando alcançar é derrubar uma irmã. Isso também não é bom”. Foi quando a esquentadinha resolveu parar a internet e declarar: “Ela não é uma ‘irmã’, ela é uma larápia. Uma ladra! Irmãs não roubam, irmãs dividem”, resgatando uma teoria da conspiração de que Beyoncé apenas recria o que outras artistas já fizeram, mas que, por conta do seu background, as pessoas fingem que é tudo autêntico.

6 – Homofobia e xenofobia marcam a polêmica envolvendo o ex- One Direction Zayn Malik

Assim, é fácil notar que a garota-prodígio costuma crer seu trabalho influenciando – ou até mesmo sendo copiado – por outros artistas, como ocorreu com o cantor de origem paquistanesa Zayn Malik, 23, que se jogou há pouco tempo em carreira solo e acabou acusado por Azealia de cópia xerox no clipe de “Like I Would”, cuja estética ela alega provir do seu “Chansing Time”. No Twitter mais uma vez, ela não poupou o bonitinho: “Poxa, Zayn, seja gentil ao se apoiar em mim, porra!”. Na rebarba e sem dar nome aos bois, Malik postou aleatoriamente um tuíte dizendo: “Vejo você por perto, mas não me importo. Minha bunda é boa demais para você”. Foi o suficiente para Banks achar que era shade (indireta) e disparar que faz música melhor que ele, “que não passa de um ‘faggot’ (bichona) que finge ser um garoto branco rebelde aspirante a Justin Bieber, 22, completando: “Tomara que a ‘refugiada suja’ da sua mãe não tenha asilo político garantido”. Resultado: a moça, que é assumidamente bissexual, foi acusada de homofobia e xenofobia. Dias depois, ela foi retirada do line-up de um festival por causa da péssima imagem que seus comentários deixaram.

Passaram-se meses e a cantora postou uma carta aberta onde pediu desculpas ao britânico, além de reconhecer que foi precipitada ao achar que o tuíte do rapaz se referia à ela. Afirmou que foi inconsequente com os insultos por estar cega e não ter enxergado naquele momento que estava sendo racista com outra minoria. E finalizou, toda doce: “Há muito amor no meu coração e bondade em minha alma. O que eu fiz foi errado e me comprometo a me tornar uma pessoa melhor”.

A cantora que já havia tido problemas com a comunidade LGBT foi extremamente criticada por insinuar que o cantor era homossexual. (Foto: DIVULGAÇÃO)

Azaelia, que já havia tido problemas com a comunidade LGBT, foi extremamente criticada por insinuar que o cantor Zayn Malik era gay (Foto: Reprodução)

7 – Na arena com o gladiador australiano: Azealia Banks é agredida e expulsa de festa privada por Russel Crowe

Fato: um dos momentos mais delicados e tensos envolvendo a cantora foi quando ela declarou, assim que o galo cantou, o que ocorreu com ela na noite anterior na casa do galã Russel Crowe, 52,: “Fui a uma festa no apartamento de Russell, na qual ele me chamou de preta, me estrangulou, me jogou para fora e cuspiu em mim”. Bom, Azaelia quebra-barraco acabou apagando a postagem logo após o astro das telas, que também tem um gênio forte, declarar que Azealia havia reclamado do seu gosto musical, dizendo que “a festa era chata e cheia de gente branca vazia”, e ainda teria ameaçado cortar os convidados com copos para vê-los sangrarem como num filme de Quentin Tarantino. Oooolha a facaaaaa!

russell-crowe

Ultimate fight entre Azaelia Banks e Russell Crowe: bate-boca por conta do gosto musical do anfitrião em festa na qual a rapper rodou as tamancas protestando contra o repertório das picapes (Fotos: Reprodução)

8 – Nicki Minaj debocha de Azealia Banks em seu jogo para celular e a rapper responde à altura em seu Instagram

Não menos importante, outro desafeto da Rapunxel é a também rapper, Nicki Minaj, 34. Quando Azealia virou referência no hip hop por conta do seu fôlego de maratonista queniana mesclado à voz de sereia seapunk, logo vieram as comparações com Nicki Minaj, que buscava criar uma identidade visual sem estereótipos. Algo que, até então, apenas Lil’ Kim havia conseguido em um meio machista e misógino como o hip hop, onde homens ainda podem fazer apologia à armas e drogas, objetificar mulheres e serem homofóbicos, sem que nenhuma pobre alma os demonize, como hoje em dia fazem com Azealia. Em 2012 havia rolado até uma negociação para ela abrir os shows da polêmica turnê “Pink Friday Reloaded” da Nicki, mas Banks declinou para terminar seu primeiro álbum de estúdio. Anos depois, elas travariam uma das mais pesadas discussões já vistas entre cantoras: Nicki embarcou na moda de lançar joguinho para celular, e no gameThe Empire” é mencionado um disco de sonoridade desagradável feito por uma sereia, chamado “Fan2Sea“.

Obviamente, o fato foi rapidamente associado à mixtapeFantasea” de Azealia. Tão irritada como Poseidon, a negra empunhou seu tridente em riste e acabou causando um maremoto, postando um textão falando que Nicki precisava emagrecer, pois já a tinha visto fazer vestidos caros parecerem muito baratos. Mas não parou por aí: mandou ela parar de se intitular rainha do rap “porque rainhas não usam lycra como peça de roupa”, e em seguida disparou o maior shade de toda a declaração: “O McDonalds vende muitos lanches, mas ninguém diz que o McDonalds é alta gastronomia. Essa é a verdade sobre você: alguém que anda por todos os campos colhendo as frutas penduradas para se vangloriar de ter mais frutas, mas todas elas são podres. Faça um favor e volte a imitar a Lady Gaga como você fazia em 2011. Boas festas e feliz 2017″. Minaj fez como Adriana Bombom e esqueceu sua resposta em churrasco.

De “amigas” a rivais: religiosa como só ela, a sonho de valsa Nicki Minaj prefere ver o anticristo na sua frente, mas só falta fazer o sinal da cruz se esbarrar com a diamante negro Azealia Banks. (Foto: Reprodução)

9 – Banks aponta sua influência nos trabalhos de Lady Gaga e Taylor Swift

Não basta ter sido exposta na internet pela socialite Kim Kardashian, 36: Taylor teve que engolir Azealia dizer que seu mais novo trabalho, o EP “SLAY-Z” é uma revindicação ao apelido da rapper, que aparece batizando uma das escudeiras do esquadrão de Tay no clipe de “Bad Blood“. A moça inclusive já declarou considerar a loura uma aproveitadora. Quiprocó. Já Lady Gaga teve que engolir outra acusação da Banks, alegando que o nome do não tão bem-sucedido álbum ARTPOP poderia ter sido subtraído do termo “Witch-hop”, usado por Banks para batizar seu próprio gênero musical, algo como um rap de bruxa. Bom, ÁS fica apenas chocado com as coincidências e não fala nada…

nn

Tolerância zero com Lady Gaga e Taylor Swift: Azealia Banks promete entrar 2017 sem deixar ninguém copiar nem sequer a cor do esmalte de seu dedo mindinho. Nem mesmo se ele estiver coberto por uma espessa meia-soquete… (Foto: Reprodução)

10 – Azealia compara a comunidade LGBT a um integrante gay e branco do KKK (Ku Klux Klan) 

Como ÁS já disse, Banks é assumidamente bissexual e já fez piada quando chamada de homofóbica na treta envolvendo Zayn Malik, segundo ela “Como posso ser uma bissexual homofóbica?”. Mas, mesmo assim e antes de toda essa confusão com o ex-One Direction, ela comparou a comunidade LGBT a um integrante gay e branco da organização racista KKK, até hoje uma irascível e indesejável instituição em prol da moral cristã encravada na “democrática” América, ainda que tenha apoio de nenhuma entidade religiosa. Na época, Azealia  retirou seu apoio à comunidade LGBT porque não queria estar associada à pessoas fracas e tão facilmente irritáveis. Concordamos com a gata somente até a primeira linha do primeiro parágrafo da página 2, já que ela sempre desiste de explicar melhor suas declarações dúbias.

azealiabanks4

Para Azealia, a maior parte da comunidade LGBT é formada apenas por gays brancos que oprimem e impõem valores de exceção, sobretudo a quem for negro, gordo ou pobre. (Foto: Reprodução)

Resumindo: Azaelia Banks é responsável pela péssima imagem que tem? Um pouco, já que a polêmica é a forma que encontrou para se defender da perseguição de grande parte da imprensa que supostamente boicota seu trabalho. Mas, por outro lado, a moça é pavio curto, do tipo que expõe infantilmente seus escândalos e declarações polêmicas. Okay, ela não é querida por todos, nem favorita de alguém. Ao contrário, há quem espere o dia que ela acabe se metendo numa confusão tamanha que arruíne de vez sua carreira. E, sem sombra de dúvida, esta vem sendo prejudicada pela forma com que a artista reage às tentativas de atingi-la. Contudo, a rapper é jovem e talentosa como poucas, mas, quem sabe, talvez também seja vítima da misoginia e do racismo. Seu maior inimigo, óbvio, é sua própria língua, muito mais danosa que qualquer desafeto. Diante de sua capacidade artística, ÁS torce para que os bons fluidos de 2017 Azealia consigam fazê-la se expressar de uma forma que não desperte o lado cruel da sociedade, que vê nela alguém que merece ser silenciada. Porque,como ela mesma diz em “212”: This shit been mine!

briga

Boca maldita: será que em 2017 Azealia Banks foca na música e dá um tempo nas tretas? Resta acompanhar… (Foto: Reprodução)

Em tempo: tudo bem, já tem mais de quatro anos, mas sempre vale rever o clipe que rendeu à moça o título de sereia-seapunk, “Atlantis”.. Vale cada frame… 

Um comentário

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.