Em cartaz no Teatro das Artes, Rio, Estranhos.com” (Sex with strangers) atualiza nos palcos o tema das relações afetivas entre homem e mulher sob a ótima do mundo digital. Escrita por Laura Eason, roteirista da série House of Cards“, a peça foi sucesso no circuito off-Broadway, em Nova York, e já circulou por Sydney, Buenos Aires e em São Paulo. Deborah Evelyn e Johnny Massaro vivem respectivamente uma escritora talentosa, mas avessa à exposição do mundo atual, e um blogger com milhões de seguidores na internet que é famoso pelos relatos de suas aventuras sexuais.

Johnny Massaro e Deborah Evelyn estrelam “Estranhos.com” no Teatro das Artes, Rio. A peça que põe em cheque as relações afetivas em tempos de exposição excessiva na internet (Foto: Divulgação)

Obviamente, questões como identidade, sucesso profissional e  amor são questionadas a partir das diferenças dos amantes de duas gerações tão distintas, cujas formações se deram antes ou depois do surgimento das mídias sociais. Se Olivia, amargurada escritora de recursos literários que não faz sucesso comercial representa a obsolescência de um universo que hoje, para sobreviver em escala, não pode prescindir da notoriedade gerada pela fogueira de vaidades virtual, seu comportamento reservado se configuraria ou não em pecado mortal? Afinal, nos tempos atuais o anonimato online pode se confundir a possibilidade da inexistência física.

O choque entre a Geração Z, criada sob os auspícios da internet e da Geração X, representados respectivamente por Johnny Massaro e Deborah Evelyn, são a força motriz da relação afetiva entre uma professora de literatura e um blogger em “Estranhos.com” (Foto: Divulgação)

Por outro lado, o millennial William vive o eterno conflito dos seus pares, se alternando entre a constatação da falta de consistência da fama barata e o apego a este mesmo estrelato volátil que banaliza emoções ao sabor de um público superficial que flana pelos aplicativos internéticos. Ajuda ou atrapalha sua arrogância típica, traço característico de quem nasceu sob as facilidades do planeta ao alcance dos devices? Sua rapidez cognitiva seria suficiente para escapar dos dribles que a vida prepara aos amantes, desde que o mundo é mundo? Ou, mesmo com tantas possibilidades virais, na vida de carne e osso o buraco é maior?

Jovem ator da TV, Johnny Massaro se mostra com desenvoltura no palco interpretando, em “Estranhos.com”, um GenZer que procura uma relação profunda, mas não está imune aos efeitos de quem se fez nas mídias digitais, tão eficientes quanto superficiais (Foto: Divulgação)

No fundo, é a velha questão do choque de ideias entre pares de gerações distintas. A novidade, claro, é o tempero digital do qual não é possível mais fugir. Se o mundo galopa a passos largos diante de todas as modificações deslanchadas a partir da internet, é natural que a tônica dos relacionamentos seja afetada por ela. Não se trata apenas dos amores líquidos que pensadores como Zygmunt Bauman constataram, mas de dificuldades que incluem responder imediatamente aos périplos cotidianos submissos à interferência dessa velocidade fugaz. E, quando se trata de profundidade, seria tolice acreditar que os GenZers também não a busquem, ainda por vezes seja mais fácil crer que a vida se resuma a um même da Gretchen.

(Foto: Divulgação)

Deborah Evelyn mais uma vez encontra no teatro a possibilidade de interpretar papeis que nem sempre seu physique du rôle lhe garante na TV. Em “Estanhos.com”, ela continua exercitando facetas que obras como Deus da Carnificina possibilitam. Expoente de uma fornada de atores, Johnny Massaro é eficiente como o personagem que transita entre a doçura de quem está descobrindo novas formas de se relacionar e aquele que, apesar da pouca idade, sabe tudo sobre causa e efeito online.

Criada por Manuel Escuñuela, a cenografia de “Estranhos.com” é um espetáculo à parte. Consegue dar cabo da encenação, é estilizada e ao mesmo tempo impregna o palco com a atmosfera pretendia por Emílio de Mello, completada pela eficiente iluminação de Tomas Ribas (Foto: Divulgação)

A mão de Emílio de Mello é seca e precisa, e o diretor faz uma encenação que, apesar da densidade do tema, sabe tirar proveito da ironia como alívio cômico, quase esbarrando na blague. A boa iluminação de Tomas Ribas e a música pontual de Ivo Senra contribuem para um dos pontos fortes do espetáculo: a ótima cenografia de Marcelo Escuñuela, um primor de funcionalidade sem perder o vigor estético.

 

Serviço:

Estranhos.com

Até 2/7

Local: Teatro das Artes

Endereço: Shopping da Gávea (Rua Marquês de São Vicente, 52 – 2º piso)

Informações: 2540-6004

Horários: Sextas e Sábados às 21h  –  Domingos às 20h

Classificação etária: 14 anos

Duração: 80 min

Ingressos à venda na bilheteria do Teatro – Segunda a Domingo das 15h às 20h

Após às 20h vendas apenas para peças do dia;

Ingressos às sextas: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia) / Popular (apenas 84 poltronas disponibilizadas por sessão) R$50,00 (inteira) R$ 25,00 (meia) / sábados e domingos: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia) / Popular (apenas 84 poltronas disponibilizadas por sessão) R$50,00 (inteira) R$ 25,00 (meia)

aceita cartões de crédito, débito, dinheiro, vale-cultura.

Vendas Online na DIVERTIX – www.divertix.com.br

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.