2017 já se aproxima da metade. É tempo de inventariar o recente percurso da moda brasileira num país em crise. Crise política, moral, econômica, de briga entre os poderes. Diante disso, impossível não tirar o chapéu para o Dragão Fashion Brasil, que movimentou Fortaleza no final de maio. Em seu 18º ano, o evento comandado por Claudio Silveira permanece consagrado com uma plataforma lançadora de moda autoral, a principal do Nordeste e uma das mais importantes do Brasil. Feito e tanto quando se considera que boa parte das semanas de estilo por aqui cada vez mais precisam se render ao aspecto comercial para sobreviver. Nesse exercício de criatividade único, Saldanha e Iury Costa provam que não é preciso embarcar no artesanato para fazer boa moda.

Se apresentando no Projeto Tramas & Sonhos com coleção criada a partir de um poema de Clarice Lispector, Saldanha dialoga com assimetrias. No feminino, se diverte revelando partes do corpo através de volumes e repuxados; no masculino mantém a verve de uma roupa mais solta, mas imprime certo orientalismo. É moda que, se mal modelada, poderia dar erradíssimo. Mas na sua mão funciona que é uma beleza!

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Saldanha no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

André Sampaio não foi o único estilista nessa edição do DFB a se inspirar na fotografia. Iury Costa traz a obra do bamba Otto Stupakoff para a passarela. Entre jogos e preto & branco e rosa, o designer desfilou uma coleção seca, na qual a construção é a tônica. Peças em alfaiataria nada óbvia são plenas de volumes e detalhes como pontas soltas, amarrações, assimetrias e até dobraduras, às vezes tangenciando o orientalismo, por vezes urbanoide ou mesmo com um quê de resort chique. No batente com  a marca própria desde 2009, Iury mostra que é cabível ser de Fortaleza e não embarcar na pecha do artesanal, sem deixar de trazer o viés autoral na veia.

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

Iury Costa no Dragão Fashion Brasil #18 (Foto: Divulgação)

 

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.