“Sou só um ente vivente. Com sentidos, boca, olhos e ouvidos. Bem vividos e já não me iludo mais”, os versos de Alzira Espíndola e Vera Lúcia Motta para a música Mulher: o suficiente bem resumem o momento atual de Simone, que comemorou seus quarenta anos de carreira na noite desta sexta-feira (11/3) no Vivo Rio, com o show É melhor ser que, depois de cobrir cidades como Belo Horizonte, São paulo e Porto Alegre, ainda segue para Curitiba, Nordeste, Centro Oeste e interior de São Paulo com uma façanha inédita na carreira da artista: todos os ingressos a R$ 1. O espetáculo traz a direção de outra mulher de temperamento forte, a atriz Christiane Torloni.

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0543

Simone, sob o olhar de Christiane Torloni: celebração dos 40 anos de carreira em show para afagar o público (Foto: Vinícius Pereira)

“Eu queria ter o olhar feminino, queria uma pessoa de teatro, que olhasse para mim e me visse. E foi exatamente o que a Chris fez. Ela é uma pessoa de teatro, de espetáculos maravilhosos como A Loba de Ray Ban e Master Class“, uma grande atriz, e tem esse universo que eu queria mostrar. Ela me olhava e me via desnuda”, explica a intérprete. O resultado é visível, embora a luz essencialmente azulada e o figurino branco sejam em essência pura Simone enquanto entidade do palco, independente de quem a dirige.

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0604

Tudo azul na vida e no palco: em renda branca, Simone comemora trajetória que se confunde com o boom das mulheres compositoras a partir dos anos setenta em “É melhor ser”, sucesso neste final de semana no Vivo Rio (Foto: Vinícius Pereira)

No repertório, Simone passeia por músicas de mulheres tão variadas quanto Rita Lee, Joyce, Dona Ivone Lara, Teresa Cristina, Luli e Lucina, Marina Lima, Zélia Duncan e Adriana Calcanhoto. E arrisca até mesmo A noite do meu bem“, clássico na voz de Dolores Duran. Luxo. Ou envereda por Canteiros“, poema de Cecilia Meireles musicado por Fagner. Bingo! Nesse show mulheríssima, ela acerta em cheio e prova que, depois de quatro décadas de estrada, continuava com motivo para estar plena de si.

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0514

Eu tô que tô: alegria da cantora é latente e lhe permitiu fazer o show a um valor de ingresso simbólico e assim contemplar seu vasto e fiel público (Foto: Vinícius Pereira)

A diva celebra a explosão de compositoras a partir da década de 1970: “Isso até então não era muito comum. Costumávamos ser apenas intérpretes. A década do desbunde marca essa virada”, comenta, elogiando o cenário de móbiles criado pelo bamba Hélio Eichbauer: ‘È um show caríssimo que só consegui por de pé porque tive patrocínio, mas o público merece. Tenho que ir aonde ele está e muito fãs não podiam ir me ver por conta do valor dos ingressos. Rompi esse paradigma e fiz esse carinho à plateia, dando a ela tudo o que é de direito: um espetáculo completo. Esse valor de R$ 1 está mantido em todo o Brasil”, regozija-se a cantora.

Confira abaixo as fotos de Vinícius Pereira:

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0571

Simone em ‘É melhor ser”, espetáculo que marca os 40 anos de carreira da intérprete no Vivo Rio e que prossegue em turnê (Foto: Vinícius Pereira)

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0624

Simone em ‘É melhor ser”, espetáculo que marca os 40 anos de carreira da intérprete no Vivo Rio e que prossegue em turnê (Foto: Vinícius Pereira)

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0482

Simone em ‘É melhor ser”, espetáculo que marca os 40 anos de carreira da intérprete no Vivo Rio e que prossegue em turnê (Foto: Vinícius Pereira)

SimoneFotViniciusPereira_Z7O0640

Simone em ‘É melhor ser”, espetáculo que marca os 40 anos de carreira da intérprete no Vivo Rio e que prossegue em turnê (Foto: Vinícius Pereira)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.