A estilista Lena Santana causou algum burburinho na década passada quando desfilou duas coleções elogiadas no Fashion Rio, em 2004. Depois, a moça deu aquela sumida básica, tendo se mudado de mala e cuia para Londres, onde se estabeleceu por oito anos. Lá ela deu expediente na concorrida Cockpit Arts e agora, de volta ao Rio, dá o ar de sua graça lançando nova fornada de peças inspiradas na vida simples dos pescadores. O desfile está programado para o próximo dia 8/12 às 20h, no Espaço Cultural Olho da Rua, no Rio. Para ela, o universo da pesca artesanal traz à tona cores, tramas e tudo aquilo que permeia um suposto universo lúdico desse ofício. Tudo a ver, portanto, com o trabalho da moça.

Lena Santana: nova coleção cria paralelo entre sua moda minimalista e o cotidiano simples dos pescadores (foto: Divulgação)

Lena Santana: nova coleção cria paralelo entre sua moda minimalista e o cotidiano simples dos pescadores (foto: Divulgação)

Lena é generosa: convocou sua assistente Daphne Segal para participar da criação de sua nova coleção. As duas elaboraram vestidos em linhas simples e geométricas, destacando nas peças a parceria com o grupo Bordadeiras da Praia do Sono, de Paraty. É que a estilista andou saracoteando pela histórica cidade da costa fluminense de 2010 até o ano passado, período em que assumiu a curadoria do Eco Fashion Paraty, evento que fomenta a conscientização da utilização de material sustentável na indústria da moda.

Assim, ela conta nesta nova coleção com o grupo que existe desde 2006 formado por 13 mulheres da comunidade local, que se dedicam a reproduzir no seu trabalho o cotidiano da vida caiçara. Na liderança do grupo estão Emily Unna Monteiro Brown, Lindalva do Remédios Albino e Zeni Alvarenga.

Parceria com bordadeiras de Paraty: novo trabalho de Lena Santana traz o frescor do contato da designer com artesãs da cidade fluminense (Foto: Divulgação)

Parceria com bordadeiras de Paraty: novo trabalho de Lena Santana traz o frescor do contato da designer com artesãs da cidade fluminense (Foto: Divulgação)

De certa forma, Lena pode se dar ao luxo de fazer a festa como se fosse pinto no lixo. ÁS explica: se, na década passada, a estilista já dava prova do seu apreço pelo minimalismo num momento da moda em que tudo era over e a febre da logomania pontificava nas vitrines, agora, com a releitura dos anos 1990 em cheque, seu trabalho não poderia estar mais atual. Somam-se a isso mais de dez anos de novas vivências.

Lena Santana coleção nova dez 2015 3

Minimalismo e corte bem talhado: mesmo após o sumiço fashion, Lena Santana demonstra se manter afiada com o caimento das peças com corte minimal, um dos seus pontos fortes na época do Fashion Rio (Foto: Divulgação)

Durante o desfile, os designers Antônio Breves e RafaMon fazem interferências artísticas com peças ligadas ao universo marítimo, já que Lena, apesar de não ser novata, carrega a pecha de nova criadora e ama de carteirinha essa levada de happening. Afinal, mesmo com a experiência conquistada, ela demonstra não ter perdido o viço quando convida o também artista plástico Antônio para transformar material de pesca em bijuterias inusitadas, se esbaldando com esse deslocamento de função, uma de suas marcas. Está tudo em casa, já que a rapaz é o idealizador e coordenador do Espaço Cultural Olho da Rua, onde será realizado o desfile. Ele desenvolve trabalhos interativos com interesse na pesquisa da relação entre arte e o espaço público contemporâneo como canal para a transformação social. Parece muito cabeça? Okay, sem dúvida! Mas moda autoral pode ser veículo para esse tipo de insight.

Já a outra convidada de Lena Santana, RafaMon, realiza o projeto Pimp my Boat” nas colônias de pescadores e transforma remos, quilhas e barcos em obras de arte, com desenhos geométricos e multicoloridos. Para completar, o evento vai ter até roda de capoeira, saudação a orixás e a cantora Luiza Breves soltando o gogó ao vivo durante a catwalk. Resta esperar dezembro para ver o resultado do conjunto.

Serviço:

Dia: 08/12, a partir das 18h

Local: Espaço Cultural Olho da Rua, Rua Bambina, 6, Botafogo-RJ

Abertura: Roda de Capoeira de Angola com mestre Ferradura saudando Oxum e Iemanjá

Coquetel: 20h, drinks de frutas e soft drink (sem álcool);

Desfile: 20h30 com música ao vivo – Luiza Breves canta repertório autoral e também os grandes Dorival Caymmi, Caetano Veloso e Teresa Cristina.

Estacionamento e manobrista: não tem

 

Um comentário

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.