*Por Andrey Costa

Parece que foi ontem que Laure Briard oficializou seu début musical com o enérgico álbum “Révélation” (2015), imersão pura no estilo que a inseriu na cena lo-fi da música francesa: pop francês temperado pelo indie rock, cheinho de referências dos anos 1960. Depois, apaixonou-se por Tom Jobim e, por consequência, pelo Brasil, quando lá em 2017 conheceu os meninos do Boogarins no festival SXSW (South By Southwest) e estreitou laços, fazendo posteriormente até canção inspirada em Jorge Ben Jor, outro amor. Corta para 2019, com a tournée do álbum “Un Peu Plus D’Amour, S’il Vous Plait” (2019): a moça retorna ao país trazendo collabs de peso ao palco e conta, num bate-papo exclusivo com o ÁS, o que espera nesse novo flerte com a Terra Brasilis.

Mais amor, por favor! Laure Briard promete estreitar mais laços com o Brasil (Foto: Lisa Boostani / Divulgação)

ÁS: Suas referências sonoras transmutam-se lindamente dos anos 1960 para o indie rock do finalzinho dos anos 2000. Isso acaba influenciado no seu estilo. Explorar a moda é algo que você curte?

Laure Briard: Devo admitir que estou obcecada pelos os anos 1960 já há um bom tempo. Com a música, filmes, a arte em geral, mas principalmente com a moda. Há algo muito delicado e elegante nesses anos, uma vibe especial que eu adoro.

ÁS: Quem são seus ícones de estilo?

LB: Meus ícones de estilo poderiam ser Françoise Hardy, com certeza, ou a cantora-atriz Anna Karina, obsessão de Jean-Luc Godard. E muitas atrizes da época, como Romy Schneider ou Jeanne Moreau, então a maior do cinema francês.

Ela cantou os amores de toda uma geração e foi uma das principais representantes do Yé-Yé na França: além de ícone na música, Françoise Hardy é ícone de estilo para Laure Briard (Foto: Reprodução)

ÁS: O EP “Coração Louco” (2018) está na minha lista de mais ouvidas desde o lançamento. Você é bem-humorada o suficiente para escrever sobre amor e desamor. Isso vem naturalmente ou você ainda tenta canalizar esses sentimentos nas músicas?

LB: O amor é meu tema principal. Eu costumava estar envolvida em histórias de amor malucas há muito tempo, aliás. É uma preocupação importante também, por isso é bem natural para mim. Mas gosto de explorar outros temas também.

Celine girl in a Moschino world: Laure Briard gosta mesmo é de um estilo clean e classudo na hora de brincar com moda (Foto: Cecile Trichard / Divulgação)

ÁS: Que artista brasileiro você gostaria fazer um feat. e qual seria o estilo musical dessa collab?

LB: Eu adoraria colaborar com o Toquinho! Adoro ele. Graças aos meus amigos brasileiros, descubro novas bandas. Ultimamente estou amando Giovani Cidreira e My Magical Glowing Lens; gosto da ideia de fazer algo com os dois.

Crush: na música, o match perfeito para Laure Briard é Toquinho! (Foto: Reprodução)

ÁS: Quais são as expectativas para essa turnê?

LB: A expectativa número um é me divertir. Eu me sinto realmente sortuda por todas essas pessoas maravilhosas e talentosas (Hierofante Púrpura e Larissa Conforto) aceitarem brincar comigo. É uma honra! A expectativa número dois é conhecer pessoas. Meus fãs, principalmente. Gosto de uma troca cultural. E por fim, finalmente conhecer mais desse lindo país.

ÁS: O que você diria para os fãs aqui?

LB: Eu quero dizer que eles são os melhores. Tão entusiasmados!!! Isso me surpreende toda vez que retorno.

Da solidão de um marinheiro à uma separação, ou ainda sobre andar por aí descuidadamente. Laure Briard canta sobre personagens atormentados que sofrem por viverem uma poesia em um dia-a-dia mundano. O álbum “Un Peu Plus D’Amour, S’il Vous Plait” transborda nos tons de uma dimensão esotérica (Foto: Marjorie Calle / Divulgação)

Quem vai acompanhar Laure nos shows pelo Brasil será uma super banda, que conta com Larissa Conforto (ex-Ventre), Danilo Selvagi e Helena Rosa, ambos do Hierofante Púrpura, e o músico francês Vincent Guyot. Em São Paulo, a compositora também contará com a participação especial de Benke Ferraz.

Laure Briard no Brasil:

Rio de Janeiro – Estúdio Fórum

Data: 27/04, sábado, 18h

Endereço: Rua Professor Alfredo Gomes, 33 – Botafogo

Ingressos: R$20 até 19h30 / R$25 após 19h30

Vitória – Casa da Gruta

Data: 28/04, domingo, das 17h às 00h

Endereço: Rua Barão de Monjardim, 10, escadaria Cristóvão Colombo

Ingressos: R$15

São Paulo – Teatro do Sesc Santana

Data: 01/05, quarta-feira, 18h

Endereço: Avenida Luiz Dumont Villares, 579 – Jd. São Paulo.

Ingressos: R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia), R$ 12,00 (credencial plena)

Campinas – Sesc Campinas

Data: 02/5, Quinta-feira, 20h30

Local: Rua Dom José I, 270/333 – Bonfim

Entrada gratuita

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.