O circo da moda se transferiu de mala e cuia a partir de hoje para o pavilhão do Expominas, em Belo Horizonte, quartel-general do Minas Trend, evento que celebra nesta 20ª edição seus dez anos de estrada. Dessa vez com a alcunha ano.dez“, o evento – um bem-sucedido salão de negócios turbinado com desfiles de lançamento –, vai desta terça (4/4) a sexta-feira (7/4) com pompa e circunstância, a começar pelo badalo que celebrou a data emblemática na noite desta segunda (3/4), com direito ao retorno do desfile de tendências com concepção de Paulo Martinez, beleza por Ricardo dos Anjos e música ao vivo a cargo do ótimo Flávio Renegado.

Minas Trend: 20 edições e dez anos de vida, na contramão de um Brasil no qual a a indústria têxtil anda em crise, os modelos de lançamento tradicionais agonizam e o os investimentos dos patrocinadores minguaram após a enxurrada de eventos esportivos que varreu o país (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Pretinho nada básico da música: o suíngue de Flavio Renegado abrilhantou o desfile de abertura do Minas Trend, com direito a cenário minimalista e modelos vestidas majoritariamente de preto (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Num país em crise, não poderia ser mais bem-vindo o ininterrupto esforço da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG, que realiza o evento) a qual, sem deixar a peteca cair, promove a moda brasileira, valorizando marcas não apenas mineiras, mas de todo o Brasil. O MT cada vez mais se consagra como o melhor formato do setor ao conjugar business e badalo na exata medida.

A expressão “ganhar o pão” nunca fez tanto sentido no mundinho fashion: num ano em que a crise econômica ainda assola o país – dentre tantas outras falências morais e políticas – modelo desfila no Minas Trend com baguetes debaixo do braço. Sinal dos tempos, quando flanar no fluxo moda pode não significar garantir o sustento de cada dia. Mesmo assim, é louvável o fôlego do Minas Trend de se manter de pé em meio a tantas adversidades no Brasil de hoje, mantendo tanto a qualidade do evento quanto a do apurado handmade das coleções (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

E essa volta do desfile-conceito na abertura é a prova de que é possível mesclar inspiração e realidade comercial numa adequação aristotélica de primeríssima, ainda que a edição de moda daquilo visto na passarela não corresponda exatamente ao que comparece na linha de frente nos estandes dos expositores. Mas, nem precisa.

Pavilhão do Expominas em noite de festa da Fiemg: agito de abertura do Minas Trend voltou a fazer parte do evento após duas edições de vacas magras – mais negócio e menos badalo (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Minas Trend high tech: ambientação concebida por Pedro Lázaro para a semana de moda mineira impressiona pelo impacto dos andaimes metálicos em contraponto aos telões de led que exibem desfiles das temporadas anteriores (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Explica-se: com a pecha dos negócios na dianteira, o Minas Trend é charmoso, mas não desperdiça tempo com firulas. As coleções exibidas na feira correspondem à primavera-verão 17/18 e o evento não aderiu como um todo ao see now, buy now“, embora um estande com essa equação de produção/exibição/vendas esteja mais uma vez posicionado logo na entrada do salão de negócios.

Data marcante: dez anos do Minas Trend foram o empurrão para o evento voltar a incrementar o salão de negócios com supérfluos que não ajudam nas vendas, mas imprimem o tom de espetáculo tão necessário aos dias de hoje. O balé do Minas Sesi se encarregou de garantir a performance artística na noite de abertura, com dança contemporânea que começou sobre os andaimes do cenário e terminou em terra firme. Reflexo dos novos e enxutos tempos: quando voar na moda só faz sentido se o pouso final for sólido (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Os desfiles individuais das grifes, apesar de bem realizados, primam por apresentar as coleções de maneira didática, mais para Nova York que para Londres. Logo, o fashion show de Paulo Martinez não precisa acompanhar aquilo que poderá ser conferido nos desfiles avulsos ou constatado de pertinho nas araras, nos espaços de venda. Pode perfeitamente reunir peças criadas para o verão 18, mas ter o aroma do inverno 17 que mal começou, com o preto predominando 90%.  E Paulo é sempre Paulo, convenhamos.

Herança dos eventos esportivos? Elementos esportivos e acessórios street foram a linha condutora do desfile de abertura da 20ª edição do Minas Trend, seguindo uma tendência que já havia se mostrado forte duas semanas antes na São Paulo Fashion Week (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Herança dos eventos esportivos? Elementos esportivos e acessórios street foram a linha condutora do desfile de abertura da 20ª edição do Minas Trend, seguindo uma tendência que já havia se mostrado forte duas semanas antes na São Paulo Fashion Week (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

A dama de vermelho no Minas Trend: entre muitos looks pretos totais, rubros vivos também foram destaque num desfile que ainda contou com cores primaárias como amarelo canário e azul real (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Seleção canarinho: edição de moda de paulo Martinez para o desfile de abertura do Minas Trend contou com série de amarelos vivos que iluminaram os pretos (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Wonder Woman no chiquê: estrelinhas da Mulher-Maravilha, cujo esperado longa-metragem solo estreia nos cinemas mundiais em 1º de junho, continuam presentes nas passarelas desta temporada. Depois da SPFW e do Mega Polo, elas compareceram no desfile de abertura do 20º Minas Trend (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

(Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

 

Nesta edição do evento, os dez anos de trabalho com a cadeia produtiva do setor foram escolhidos como tema de inspiração – serão destacadas as ações para o reposicionamento e qualificação da produção mineira de vestuário, calçados, joias, bijuterias e acessórios.

São 185 expositores, entre eles Aramez por Gissa Bicalho, Arte Sacra, Caleidoscópio, Hector Albertazzi, Claudia Arbex, Monica Di Creddo, Esdra, Donna Brasil, Luiza Barcelos, Margot, Fatima Scofield, Fedra, Fleche D’Or, Patricia Motta, Raquel de Queiroz, Ton Âge, Uh Premium e Fabiana Milazzo.

Arte Sacra traz a arquitetura concretista traduzida em modelagens estruturadas e desconstruções (Foto: Divulgação)

Nesta edição do Minas Trend, a Fleche D’Or enfatiza a silhueta longilínea (Foto: Divulgação)

De Carol Caetano, a Cajo entrou em contato com o universo místico para abusar de sedas, crepes e cetins. A delicadeza dos maxi prints florais é destaque(Foto: Divulgação)

Após ter pulado a edição passada, o Grupo Nohda – com Pat Bo, Patricia Bonaldi, Lucas Magalhães e Apartamento 03 – volta a participar do salão e é destaque Victor Dzenk , que fecha a rodada dos desfiles e traz ainda a linha mais jovem Thais Dzenk e a nova linha Preta Gil por Victor Dzenk para as araras do seu estande. Já a SK/Skunk, marca consagrada no eixo Minas-Rio, com fábrica em Juiz de Fora e 30 anos de estrada, se rende ao modelo de negócios do evento e passam a expor seus produtos na feira.

A Skunk é novata no salão de negócios do Minas Trend, mas conta com 30 anos de trajetória no mercado (Foto: Divulgação)

Por isso, o escritório de arquitetura de Pedro Lázaro, sempre à frente da ambientação e sinalização do MT, usa o ciclo evolutivo das borboletas como metáfora para o trabalho realizado entre os profissionais do setor e a a FIEMG, É o presidente desta, Olavo Machado Junior, dá a tônica: “A década de trabalho com a cadeia produtiva do setor resgata a genuína vocação da Federação que é estimular, qualificar e divulgar a produção do estado, gerando competitividade e negócios”, afirma.

Responsável pela concepção visual do evento, o arquiteto Pedro Lázaro celebrou a jornada de 20 edições do Minas Trend (Foto: Sebastião Junior Jacinto / Divulgação)

Em entrevista, Machado Junior reiterou a importância de fomentar o setor: “Confecções e vestuário em Minas é um segmento mais estruturado que vários outros. Precisamos incentivar os empresários sem tutelá-los. Nosso objetivo agora é ampliar a visibilidade da moda mineira para além de Minas, sobretudo no exterior. Vitória (ES) faz o terceiro maior evento de pedras do mundo, que fatura bilhões. Precisamos fazer o mesmo com a nossa moda e ganhar um pouco desse mercado”.

Questionado sobre a quantidade de desfiles no evento, ele é categórico: “A maior participação de grifes na passarela é bem-vinda. Mas, desfile tem custo e tem marca que prefere, pro exemplo, investir em loja. Por outro lado, tem grife que afirma que está no line up porque o crescimento nas lojas lhe permite agora desfilar. Temos que ter noção daquilo que importa. O evento de abertura não traz venda, mas a data de 10 anos é significativa, então fizemos um agito para celebrar o percurso”.

Presidente da Fiemg, Olavo Machado ressaltou em coletiva do Minas Trend a importância de os empresários do setor têxtil se abrirem para as inovações e se renderem ao novo contexto de um mundo em mutação (Foto: Sebastião Jacinto Junior)

E completa: não podemos deixar de analisar e variar formatos sempre que os empresários pedirem. Nosso foco são eles, não o público final. Por isso, vamos cada vez mais investir em núcleos de inovação e em estruturas de coworkings com serviços de design, que é demanda. Os empresários da moda entendem que não é só design de moda que é necessário ao seu negócio. Design gráfico e em outros setores também. O empresário da moda precisa se preocupar com o futuro. TI é assunto de pauta; o mundo está mudando e temos que acompanhar. Por isso temos aqui no evento. Por isso temos aqui em exposição três impressoras 3D usadas numa intervenção artística”.

Estreando na passarela do Minas Trend, a Unity Seven procura atingir uma mulher contemporânea e jovem, mas de espírito romântico (Foto: Divulgação)

A partir de hoje, o público de convidados poder conferir os desfiles da Ellus, Natália Pessoa (ex-Faven), Plural, Anne Est Folle, Lucas Magalhães e Victor Dzenk. Estreiam no line up, Bobstore, Manzan e Unity 7.

Coleção inverno 2017 de Victor Dzenk na temporada de outubro do Minas Trend: boa recepção do trabalho promete se repetir nesta nova edição (Foto : Ze Takahashi / FOTOSITE /Divulgação)

Além da coleção que será exibida na passarela, a Plural – que já desfilou 12 vezes e participou de 16 temporadas do MT – é destaque na expo comemorativa “Minas Trend + 10”. Expoente do design que prima pelo estilo urban cool, a grife exibe sua concepção sobre democratização das tecnologias  como um fenômeno do século 21, aliado à busca pela individualidade, uma marca dos pós-modernismo.

Veterana do Minas Trend, a Plural exala seu frescor em homenagem realizada na área de convivência da nova edição do evento (Foto: Alberto Wu para Ás na Manga)

Serviço:

Minas Trend – Primavera-verão/2018

Data: 04 a 07 de abril de 2017

Horário: de 3ª a 5ª feira, das 10h às 20h, e 6ª feira das 10h às 17h

Local: Expominas – Belo Horizonte – MG

Informações: www.minastrend.com.br

https://www.facebook.com/minastrend

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.