* Por Alexandre Schnabl

Ao que tudo indica, esta estação pode ser uma gelada. Explica-se: grifes que desfilaram na São Paulo Fashion Week apostam numa estação que, se não for exatamente fria nos graus centígrados, pode ser na ilusão térmica com coleções que despertariam causariam granizo em Elsa, a Rainha da Neve de Frozen. Felizmente, nesse primeiro final de semana após o evento, as temperaturas caíram bastante e, se tudo der certo e o friozinho fora de hora se mantiver, é possível que o inverno compareça turbinando as vendas.

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

A Osklen trouxe a vivência de uma viagem à Islândia para a passarela numa coleção que foi desenvolvida em paralelo ao filme Soundtrack“, estrelado por Selton Mello e Seu Jorge. O longa estreia no segundo semestre, teve o dedo de Oskar Metsavaht e a narrativa se passa na Antártida. Prato cheio para a grife, que adora criar moda em cima dos esportes da neve. Assim, a equipe de comandada por Juliana Suassuna caprichou naquele universo de esporte + tecnologia + ecologia que sempre embala a marca, com looks esportivos com levada esquimó, ora com um quê japonista.

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Dentre as sacações ecológicas, o sempre eficaz couro de pirarucu, o tricô de alpaca (animais dos Andes da família dos lhamas e vicunhas), que repele água e é mais quente que a lã, o moletom pet e o tyvek, aquele tecido empapelado das bomber jackets dos anos 1980  levinho, impermeável e desenvolvido num processo que gasta menos energia que os demais sintéticos.

Trata-se de uma coleção que valoriza maxi cabans, anoraks e pulls, brinca com sobreposições em montagens amplas e tem a cara da riqueza. Coisa para bem-nascido que curte a veia de explorador, para quem pinguins têm mais a dizer que a humanidade.

A cartela de cores, que mistura tons glaciais – branco, areia, off-white, azul clarinho (tipo de sombra no iceberg) e rosa clarinho – com preto e gamas reativas tipo azul real, laranja e amarelo, se encarrega de acentuar esse clima sofisticado, com destaque para os doudounes (acolchoados), malhas caneladas e o mix de moletom com camisa branca, um primor! Lembra o mesmo tipo de cuidado tomado em uma coleção da marca de tempos atrás inspirada nos Himalaias.

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Na produção primorosa de Pedro Sales, vale destacar a beleza natural e geladinha criada por Amanda Schon. Confira abaixo!

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Osklen na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Na contramão da minimalista Osklen, a novata TIG estreia no line-up da semana de moda carregando a mão, mas em boa forma. Tudo exagerado, mas não é que ficou bom? O ponto de partida foi cabeça: obras de Franz Kafka, Herman Hesse e até O Corvo“, de Edgar Allan Poe. Trilha com remix de Love will tear us apart again“, do Joy Division, para reforçar os oitenta. Tudo no intuito de embalar looks oitentistas com inspiração dark, repletos de muito brilho molhado em paetês e metalizados, tules, transparências, rendas, assimétrias, fitas, babados enooormes nos ombros, estampas florais soturnas e efeitos de neve escorrendo colo abaixo.

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Over a dar com o pau, a coleção pretende funcionar como divisor de águas nessa repaginação da grife que já se chamou até pouco tempo Tigresse. Boa sacada, já que o nome anterior poderia causar um efeito endêmico na plateia fazer virar o nariz empoado da turma mais conceitual que costuma frequentar o evento. Mas, mesmo com o extreme makeover, a coleção mostra exatamente aquele caldeirão de exageros que a cliente da marca consome, prometendo se manter fiel ao seu público.

E, ao lado da GIG, a grife apresentou alguma das mangas bufantes mais bonitas da temporada. Isso sem falar nas belas estampas rebatidas que aludem às asas de borboleta, em referência à “Metamorfose”, de Kafka.

Como plus, os belos brincos e pulseiras da Swarovski por Bianca Bertoni – o nome à frente da TIG –, em forma de insetos, e os calçados em couro e pelúcia por Gisele Dias. ÁS amou.

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Explorando os diferentes tipos de beleza do casting sem uniformizar cabelos, mas imprimindo unidade através de um aspecto “sujinho” que procura reproduzir o resultado das madeixas afetadas pelo vento glacial, a beleza criada por Rodrigo Costa prioriza os olhos pretos marcados e varia nos tons de batom.  

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Tig na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.