*Por Andrey Costa

Mineirinha, a Fleche D’or busca na famosa residência Jardin Majorelle, no Marrocos, a inspiração para uma coleção de inverno adornada por estampas e bordados poderosos, que equilibram-se com as modelagens que têm um quê minimalista, resultando numa mélange na qual influências islâmicas e orientais se fundem com a cultura ocidental, formando um país exuberante e exótico.

marrakech-yves-saint-laurent (1) final

Presença constante: Yves Saint-Laurent costumava desopilar sua rotina babadeira no jet-set com momentos plenos de dolce far niente nos jardins marroquinos (Foto: Reprodução)

Pérola da exótica Marraquexe, o Jardim Majorelle é ponto turístico pela beleza e tradição fashion: é a antiga residência de veraneio do estilista Yves Saint Laurent e do seu companheiro de toda vida Pierre Berger. O nome da coleção? Bom, Le Jardin Majorelle. Conhecido como um oásis de tranquilidade em meio ao agito da cidade, o local abriga uma infinidade de espécies botânicas e obras de arte, tornando-o um dos lugares mais visitados do país e encantando os turistas com seu colorido terracota em contraponto aos azuis e verdes.

Jardin Majorelle 2 final

Terracota, azul e verde: com linhas art-déco, a mansão de verão de Yves Saint-Laurent foi entregue ao governo marroquino após pelo estilista e virou atração turística em Marraquexe (Foto: Reprodução)

Fleche D'or inverno17 por Marcio Rodrigues3 (baixa)

Sinestesia provocada pelos souks – mercados tradicionais marroquinos – inspiram o inverno 2017 da grife que buscou na antiga casa de YSL, a motivação para sua nova fornada de peças. Vale lembrar que o mercado árabe de Marraquexe, situado ao lado da frenética praça Djemaa el-Fna, é um dos principais atrativos da cidade (Foto: Márcio Rodrigues / Divulgação)

Yves Saint Laurent Marakesh final

Closeiro seventies: Yves Saint-Laurent lacra no close diante do souk, em Marraquexe (Foto: Reprodução)

Na coleção da Fleche D’Or, a alfaiataria ressurge reinventada, trazendo babados e modelagens autorais. Como numa obra de arte, os bordados lembram os deslumbrantes mosaicos marroquinos, e a estamparia exclusiva passeia pela imponente arquitetura e pelos jardins mais famosos do país, trazendo encanto e sofisticação.

Os babados são meticulosamente proporcionais e sem exageros – uma característica da marca que apresentou a preview da coleção no seu showroom em Belo Horizonte. A apresentação oficial acontece em BH e São Paulo simultaneamente e, como na canção eternizada por Elis Regina, as águas de março fecham o verão e a coleção de inverno da grife chega às araras.

Fleche D'or inverno17 por Marcio Rodrigues (baixa)

Free legs! Com generosos decotes e fendas, a coleção Le Jardin Majorelle, da Fleche D’Or, acentua a sensualidade da mulher com peças extremamente femininas e bem construídas (Foto: Márcio Rodrigues / Divulgação)

True Colors: as nuances do outono-inverno da Fleche D’Or trasportam a imaginação para o Norte da África também pela cartela de cores, seja através do marcante moroccan blue, da casa Majorelle, ou ainda reproduzindo os profundos tons de amaranto e carménère, que contrastam com as suaves tonalidades de argan, avelã e nude. Por sua vez, a famosa cidade azul – Chefchaouen – empresta sua principal gama à coleção, o riad blue.

Fleche D'or inverno17 por Marcio Rodrigues2 (baixa)

Visão de moda da Fleche D’Or: vestidos com modelagens elegantes em tecidos leves prometem virar hits durante o nada rigoroso inverno brasileiro em 2017 (Foto: Márcio Rodrigues / Divulgação)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.