Para Alexandre Herchcovitch, moda é fetiche. Escolhido para abrir a 40ª edição da São Paulo Fashion Week em desfile isolado no final da tarde deste domingo, o designer volta ao tempo em que ainda era underground e criava roupas para drags e outra soturnas criaturas da fauna que habita a exótica noite paulista. Afinal, sua própria trajetória se confunde com a do evento. Se este começou do desejo tímido de uniformizar o calendário de lançamentos brazuca para se tornar referência master na moda nacional, Alexandre caiu no mainstream e virou sinônimo por aqui do estilo autoral criado em padrão internacional, atemporal e globalizado, digno de ser absorvido em qualquer lugar do planeta-moda. E é esse percurso, com olhar em direção à origem, que o estilista celebra nesta temporada-emblema.

Ele ainda proporcionou aos convidados aquela atmosfera de Paris Fashion Week, com chegada dos convidados embalada por certo frenesi e com o fashion show em clima de boudoir, oferecido como colírio em local inusitado (a sede da Prefeitura de São Paulo, misto de arquitetura art déco com a monumentalidade construtivista que viria logo a substituí-la), com público e paparazzi aglomerados à entrada, acuados pela unifila, tudo com o devido burburinho e até modelos desfilando com os seios à mostra. Para abrir com chave de ouro o inverno 2016 da maior semana de moda do hemisfério Sul e que agora comemora 20 anos de estrada.

Alexandre Herchcovitch SPFW- Inverno 2016 foto: Zé Takahashi / FOTOSITE

Requinte: Herchcovitch usa elementos da estética sadô no inverno apresentado na 40ª edição da SPFW (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Herchcovitch declarou: “trata-se de uma história de amor e perda, perversão, sexo e poder”. Bom de storytelling nas suas coleções, ele sempre traz à luz um tema escolhido sob ótima inesperada e não foi diferente dessa vez. Os elementos pervie estão lá? Claro! De forma óbvia? Nunca.

Alexandre Herchcovitch SPFW- Inverno 2016 foto: Zé Takahashi / FOTOSITE

Herchcovitch na 40ª edição da SPFW: fitas e amarrações bondage comparecem em inverno-fetiche (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Sobressaem recortes que aludem às amarrações do bondage, zíperes, fitas com pontas soltas que remetem a mulheres prestes a terem seus olhos bem vendados, insinuações a pequenas brincadeiras eróticas – como os vazados e recortes redondos inspirados nos orifícios das bonecas infláveis ou daquela máscaras sadô de couro, que envolvem toda a cabeça e dizem respeito aos códigos de dominação/submissão –, transparências reveladoras e decotes tanto ousados quanto inesperados que acabam deixando os seis à mostra. O contraste entre a pele de Vênus e tecidos leves é usado em referência ao corpo que se desnuda na cama (ou onde quer que seja) e é acentuado pela ríspidez do P&B.

Alexandre Herchcovitch SPFW- Inverno 2016 foto: Zé Takahashi / FOTOSITE

Peitos à mostra no desfile de Alexandre Herchcovitch, que abriu a edição comemorativa dos 20 anos da SPFW: alusão sutil às máscaras S&M (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Brinquedinho erótico: máscaras S&M são referência para a coleção inverno 2016 da SPFW (Foto: Reprodução)

Brinquedinho erótico: máscaras S&M são referência para a coleção inverno 2016 da SPFW (Foto: Reprodução)

Sublinhando tudo, o apreço pela alfaiataria (uma das marcas do designer), que torna o conjunto da obra muito mais interessante, ainda mais se considerarmos os vestidos de tricoline, desfilados no início e com um quê de camisolão, outra peça de seu universo.

Xadrezes e pied-de-poule contracenam em composições que valorizam o resultado, revelando que a volúpia pode ser podre de chique e que o uso do cérebro na alcova pode ser o melhor appetizer sexual, daqueles que dispensam o viagra. Como complementos, colares com pedras pretas, ankle boots e botas de cano longo com sobreposição de tiras afiveladas sobre o cabedal, imprimindo a leitura das camadas utilizadas como acessório-fetiche para aumentar o climão. Delicinha!

Moda-fertiche no Inverno 2016 de Alexandre Herchcovitch: alfaiataria, xadrezes, pied-de-poule embaladados por elementos que aludem ao feticihismo (Foto: Paulo Reis / FOTOSITE / Divulgação)

Moda-fertiche no Inverno 2016 de Alexandre Herchcovitch: alfaiataria, xadrezes, pied-de-poule embaladados por elementos que aludem ao pervie style (Foto: Paulo Reis / FOTOSITE / Divulgação)

Gadgets de sadomasoquismo: apetrechos com tiras para práticas eróticas comparecem na coleção inverno 2016 de Alexandre Herchcovitch, apresentada na abertura da edição que comemora os 20 anos da SPFW (Foto: Reprodução)

Gadgets de sadomasoquismo: apetrechos com tiras para práticas eróticas comparecem na coleção inverno 2016 de Alexandre Herchcovitch, apresentada na abertura da edição que comemora os 20 anos da SPFW (Foto: Reprodução)

Em tempo: com o sugestivo nome “Do princípio ao início”, a SPFW comemora seus 20 anos de volta para o futuro. Sai de cena o Parque Candido Portinari, volta aos holofotes o Pavilhão da Bienal no Parque do Ibirapuera como a sede que consagrou o agito. Cabeça por trás de tudo, Paulo Borges alega: “sempre trabalhamos com a ideia de compromisso, planejamento e longo prazo. Sempre apontando para a frente, que é o papel inovador da moda”. E completa: “A SPFW é como uma tela em branco onde é possível cometer ousadias. Nosso papel é e continuará sendo instigar e provocar esta liberdade de criação com foco em mercado e inovação”.

Entre os 29 desfiles, badalos de calibre variado dão conta da pluralidade do evento. Na segunda-feira, às 18h, será lançado o projeto “#VIVADEPERTO: o turismo no Brasil está na moda”, na Casa SPFW. No mesmo dia, às 20h, Ronaldo Fraga fará uma sessão especial de autógrafos para o livro “Caderno de Roupas, Memórias e Croquis” na FFWSHOP.

Terça-feira (20/10), o dia já começa agitado com evento da WGSN no Iguatemi e, durante a tarde, acontece o lançamento da revista Conexão CKamura #10. Após o último desfile do dia, a animação prossegue em ritmo de night cruising, com a after party ELLUS + FFW tomando conta da Bienal.

Já na quarta (21/10), às 19h, na Praça das Artes acontece a abertura da exposição À Flor da Pele, com 150 obras de diferentes fotógrafos que registraram o universo feminino do Brasil nas últimas décadas. A curadoria é do craque Bob Wolfenson, do artista gráfico Helio Hara e do editor Ricardo Feldman.

Na quinta (22/10), Lenny Niemeyer apresenta a sua coleção no Hotel Emiliano, às 11h.  E às 17h, o arquiteto Paulo Alves assina seu livro na FFWSHOP e depois recebe para um coquetel na Casa SPFW.

Entre as exposições, que já costumam fazer parte do calendário da SPFW, destacam-se duas externas: de 19 a 23/10, a “Exposição Fotográfica de Chapéus, Cabeças e Adereços de Moda” – mostra fotográfica do fotografo Cristiano Madureira de chapéus e adereços desenvolvidos pelo designer e stylist Davi Ramos – toma conta do CEU Tiquatira.

O mundo da cenografia oferece um panorama da cenografia criada ao longo da história da SPFW, com fotografias e maquetes de projetos cenográficos de desfiles emblemáticos, criados e desenvolvidos pelo cenógrafo e designer José Marton, formado em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina e que também ministra oficina de construção cenográfica dia 20/10 ás 15h no mesmo local da mostra: o CEU Heliópolis. Imperdível!

CALENDÁRIO DE DESFILES

Segunda- feira (19/10)

1 – Animale – 17h00

2 – Uma Raquel Davidowicz – 18h00

3 – Ronaldo Fraga – 19h00

4 – Lilly Sarti – 20h00

Terça-feira (20/10)

1 – Vitorino Campos – 10h30

2 – Iódice – 12h30

3 – GIG Couture – 16h00

4 – João Pimenta – 17h00

5 – PatBo – 18h30

6 – Ellus – 20h00

Quarta-feira (21/10)

1 – Reinaldo Lourenço – 12h15

2 – Samuel Cirnansck – 16h00

3 – Apartamento 03 – 17h00

4 – Coven – 18h30

5 – Hêlo Rocha – 20h00

Quinta-feira (22/10)

1 – Lethicia para Riachuelo – 10h00

2 – Gloria Coelho – 12h20

3 – Fernanda Yamamoto – 16h00

4 – Juliana Jabour – 17h00

5 – Lolitta – 18h30

6 – Lino Villaventura – 20h00

7 – Osklen – 21h00 

Sexta –feira (23/10)

1 – Giuliana Romanno – 10h00

2 – Patricia Viera – 11h30

3 – Wagner Kallieno – 16h00

4 – Ratier – 17h30

5 – Colcci –  19h00

6 – Amapô – 20h00

Serviço:

Onde:

Exposição Fotográfica de Chapéus, Cabeças e Adereços de Moda: de 19 a 23/10 no CEU Tiquatira (Av. Condessa Elisabeth de Robiano, 270 – Penha)

Tel: (11) 2227-0516

smeceutiquatira@prefeitura.sp.gov.br

O mundo da cenografia: de 19 a 23/10 no CEU Heliópolis (Estrada das Lágrimas, 2385 – São João Clímaco)

Tel.: (11) 2083-2203

smeceuheliopolis@prefeitura.sp.gov.br

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.