* Por Alexandre Schnabl, direto de Belo Horizonte

Sabe aquela máxima de campanha publicitária, tipo Polishop, do naipe de “Seus problemas acabaram!”. Pois bem, se aplica perfeitamente ao Mercado da Boca, recém-aberto em Belo Horizonte: um espaço bacanudo com mais de 30 operações que reúne o melhor da gastronomia, tipo Disney para amantes da boa mesa. O lugar segue aquele padrão de meca gastrô, do tipo que a gente encontra em Miami ou Londres, espelhado do Cais da Ribeira, em Lisboa, e no Mercado de San Miguel, em Madri.

Mercado da Boca: concebido por um pool de empresários, inclusive administradores de shoppings, o espaço plural foi inaugurado em março na capital mineira e engloba diversos empreendimentos gastronômicos ancorados por padrão arquitetônico internacional. Segundo os investidores, o sucesso imediato já põe uma possível filial na rota de planejamento (Foto: BS Fotografias / Divulgação)

São 4.000 m² com bares, restaurantes, empório, fast foods, adega de vinhos e espaço kids dignos de fazer Pantagruel rodopiar de felicidade. Rola até uma lojinha com preciosidades para decorar a cozinha e até outros cômodos. Afinal, se come pela casa toda, amor… No centrão dessa preciosidade capitaneada por sete sócios e encravado no belo projeto arquitetônico de Gustavo Penna que traz a identidade visual de outro Gustavo, o Greco, um totem-escultura criado com panelas e funilaria, um bar de gim e um outro de cervejas e drinques da hora, prontos para deixar a turma soltinha.  ÁS amou a sangria rosê espertíssima e o mojito com adição de licor de baunilha, imperdível para quem pretende modernizar Hemingway. Ah, bom, relaxe quanto ao álcool:  tem estacionamento para 400 carros; só decidir quem vai ficara seco para voltar dirigindo!

Com dois andares amplos e cercado de natureza, no alto do Jardim Canadá, o Mercado da Boca alimenta o estômago e os olhos (Foto: BS Fotografia / Divulgação)

ÁS conferiu o badalo a aprovou. Também, pudera! Ao lado dos sócios, chefs celebs são parceiros. Sob a curadoria de Alexandre Minardi, gente do calibre de Fred Trindade, Ivo Faria, Rodrigo Zarife e o francês Emmanuel Ruz, dono de uma estrela Michelin, além de Flavio Trombino, o nome hoje à frente do Xapuri, o mais festejado restaurante de comida regional de Minas, negócio de família que começou com a mãe Nelsa. Ele bateu um papo com ÁS: “Não é brincadeira tocar o restaurante e o nosso espaço aqui no Mercado da Boca. Atenção redobrada para manter o padrão”, conta, se divertindo com a façanha.

30 estabelecimentos culinários ocupam atualmente o Mercado da Boca, entre eles o Green Up, que oferece pratos frescos e saudáveis (Foto: BS Fotografia / Divulgação)

No espaço conta com unidades da Alma Chef, Green Up e Green Up Café, Mi Garba, Morada Mexicana, Oh My Churros! (que costuma ser ótimo, mas aqui vale dar uma atenção à massa que estava… um pouco massuda!), Patuscada e Samba Fresh, além de novidades boladas para o empreendimento: Borracharia Gastrô, Experiência Rullus, La Boqueria, Marché du Pain (com pães italianos dignos de Christophe Lidy, o boulanger que fez história no carioquíssimo Garcia & Rodrigues e hoje assinando a padaria premium da rede Zona Sul, no Rio; ÁS levou alguns para casa),  Prima Napoletana, Tasca Lusitana e W.Burger, com ótima fornada de hambúrgueres artesanais.

Gastronomia descomplicada, mas charmosa, faz parte das opções encontradas no Mercado da Boca (Foto: Ingrid Cavalcanti / Divulgação)

Serviço

Mercado da Boca

Av. Toronto, 156 – Jardim Canadá

Belo Horizonte – MG

Horário de funcionamento:

Quinta: 17h à 00h

Sexta: 12h à 00h

Sábado: 12:00 à 00h

Domingo: 12h às 20h

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.