* Por Alexandre Schnabl

A moda masculina foi ponto alto desta 43ª edição da SPFW. Entre marcas voltadas apenas para o segmento e outras que incluem linhas para eles, opções de estilos variados puderam ser conferidas durante esta última semana, com alguns pontos em comum. Afinal, como a crise não anda dando sopa, predominaram o look preto total, montações em P&B, o oversize noventista e a alfaiataria mesclada ao sportswear, para perder a pecha de formalidade. Aliás, uma das tendências mais fortes é mesmo essa levada esportiva que marca o inverno, com destaque para pulls, cabans e anoraks levinhos ou mais pesados, prontos para agradar à turma que se espalha do Oiapoque ao Chuí e pode conviver com mais ou menos frio num país de dimensões continentais.

Entre os highlights, a volta da Reserva com sua moda descompromissada, os vampiros e ciganos da Ratier, que continua oferecendo ótima moda para os rapazes, e João Pimenta em grande forma, retomando o prumo após uma temporada passada válida enquanto exercício criativo, mas de gosto duvidoso. E o masculino da Osklen, sempre ótimo.

Entre as marcas que oferecem produtos para eles e elas, fizeram salivar os looks street couture de Lino Villaventura, o basicão incrementado da 2nd Floor,

Após um bom tempo longe das passarelas, a Reserva voltou à cena em grande estilo, hoje com a criação comandada pelo ótimo Igor de Barros.(ex-V.Rom, Ellus, Triton, Cavalera e Reinaldo Lourenço, precisa dizer mais?). Mantendo sua moda casual, a grife continua se mostrando avessa ao desfilão que a consagrou nas passarelas nesta última década, ainda optando por apresentações mais performáticas que fogem do lugar comum.

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Dessa vez,  Rony Meisler armou uma festinha dentro da Bienal. E, se o CEO da marca foi mau como um pica-pau ao impingir um agito longo ao público que estava desde cedo no evento – mesmo com open bar e ótima música ao vivo -, por outro lado lacrou quando o surgiu o ápice: modelos com os looks da coleção subiram em queijos e formaram um tableau vivant bem pertinho do público, que pode circular em volta deles e ver as roupas de pertinho, alimentando suas redes sociais com selfies ao lado dos bonitões. Super valeu.

Entre os pontos fortes, as montações mais soltas – com boas sugestões de sobreposição para incrementar o uso das peças mais básicas -, parkas bacanudas e boas peças de pegada militar. Vale mencionar os prints liberty e a parceria com a Universal Studios que possibilitou a presença do Pica-Pau dos desenhos animados em versão 1940’s, da época em que o personagem foi criado. Ótima para agradar aos nerds de plantão, uma turma que já foi freak, tipo The Big Bang Theory, mas que hoje é hype.

Em tempo: como não amar a Banda MeA Bras Band, que animou o badalo? Entre sucessos como Hit the Road Jack“, “Crazy in love“, da Beyoncé, e Get Lucky“, do Daft Punk em versões matadoras nas quais o sax e a percussão lacraram, ainda houve espaço para arriscar várias vezes o refrão de Another Day of Sun“, de LaLaLand. E, na hora da performance, hits de Caetano como Tieta e Odara” deram a tônica, preparando os

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Reserva na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

A Ratier veio sombria nesta temporada. Com o misticismo dos ciganos do Leste Europeu dando as cartas na passarela, vampiros estilosos desceram os Cárpatos prontos para cravar seus caninos nas jugulares das fashionistas, tão hipnotizados pela coleção quanto as vítimas desses sanguessugas mitológicos.

Jacquards impressos, veludos molhados, couros e tricôs de lã pesadões impressionaram a plateia, e ÁS torce para que o frio realmente venha nesse inverno para ser possível usar as peças de sobreposição, como os ponchos desfiados.

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

E, como a marca foca mais no masculino, mas também faz feminino, vale ressaltar o macacão de ombro de fora em veludo molhado como destaque.

Ratier na SPFW N43 (Foto; FOTOSITE / Divulgação)

Bamba de longa data na hora de amalgamar a alfaiataria e o sportswear, João Pimenta pintou e bordou nessa temporada com coleção que esbarrou em Nietzsche: ele usou a máxima do filósofo que afirma a coexistência de vários “eus” (“Eu sou vários. Há multidões em mim”) e, de quebra, abordou uma importante questão pós-modernista, a pluralidade que caracteriza a identidade humana era do individualismo. Parece cabeça demais para um lançamento de algo aparente fútil como roupas? Okay, mas João não cria nada sem refletir.

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

Com shapes secos em cima e over embaixo, ele renova seu repertório usual ( sobreposições com muito preto & branco, recortes, espírito dândi e jogos de azul) com looks nos quais as jaquetas, saias pregueadas e pantalonas são protagonistas, completadas pelo calçados da Melissa e os óculos da Chilli Beans. Ele também brincou na medida certa com preto, marrom e bege em combinação cromática que também foi bem aproveitada pela Reserva.

Um detalhe: algumas montagens lembram vitrines da finada Toot, saudosa marca que fez sucesso no Rio em meados dos oitenta.

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Zé Takahashi / FOTOSITE / Divulgação)

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Sergio Caddah / FOTOSITE / Divulgação)

Em tempo: a trilha sonora do desfile de João também impressionou. Lançado em dezembro, single “Think about it”, do projeto Manimal – de Junior Lima e  o DJ Julio Torres – lacrou o desfile foi impossível ficar com os pés parados. Confira abaixo o clipe que tem a participação e José Aldo e da top Carol Trentini (Divulgação):

Nesta levada que mistura alta moda com esporte, outras marcas também mandaram bem no masculino. Lino Villaventura reduziu as aplicações costumeiras e enfatizou o sportswear, sem perder a mão (leia mais aqui). A Ellus 2nd Floor conseguiu a proeza de fazer uma coleção inspirada num dos maiores ícones femininos da cultura pop, a Mulher-Maravilha, e soube estender o tema para os meninos. E a LAB fechou em grande estilo a SPFW , misturando streetwear com peças clássicas do universo formal do homem, com supervisão de João Pimenta.

João Pimenta na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

Ellus 2nd Floor na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

LAB na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

LAB na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

LAB na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Já a Amapô manteve o apreço por um masculino com formas soltas e o uso do jeans como carro-chefe. Peças em índigo trançado e macacões foram destaques (leia mais aqui).

Amapô na SPFW N43 (Foto: FOTOSITE / Divulgação)

Correndo por fora e estreando na SPFW dentro do Projeto Estufa, chancelado pela C&A, a Cotton Project fugiu do preto & branco quase unânime na temporada e apresentou um básico com bossa coloridinho.

COTTON PROJECT na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

COTTON PROJECT na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

COTTON PROJECT na SPFW N43 (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

E, se o sportswear foi fio condutor dos desfiles masculinos na SPFW, o que esperar da Osklen, que se fez desde os anos 1990 com o mote tecnologia mais esporte? A partir do filme Soundtrack“, com Selton Mello, que contou com a participação de Oskar Metsavaht,   a equipe de estilo da grife caiu de cabeça na coleção, com referências visuais colhidas na Islândia, onde se passa a história. Moletons, parkas e anoraks comparecem em sobreposições com montagens amplas (leia mais aqui).

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.