Rio é merendinha para gringo. Essa máxima, geralmente usada por gente maldosa que adora reduzir a Cidade Maravilha a mero reduto de turismo sexual, até poderia fazer sentido no noite de véspera dessa sexta-feira (18/9), ponto de ignição para a edição que comemora os 30 anos do Rock in Rio. Mas em sentido literal. Explica-se: responsáveis pelo catering dos camarins do agito (e também da área vip, sala de imprensa e alguns lounges), a dupla Monique e Pedro Benoliel – intrépidos mãe e filho das caçarolas – tiveram que atender a um pedido em cima da hora de um jantar para o Queen, que conferia o som ali do lado, no Palco Mundo, quando bateu aquela larica. “Eram quase quatro horas da tarde e a Ingrid (Goschliffner, produtora dos backstages) ligou pedindo para gente preparar voando um bufê para os rapazes, que foi servido umas sete e tanto”, conta Pedro, com orgulho digno de The Flash. “Estamos com uma estrutura macro no evento, de plantão para atender loucuras de última hora”, completa.

Da esquerda para a direita, Pedro, Monique Benoliel e o chef Assis: rega-bofe preparado às pressas para a banda britânica (Foto: Divulgação)

Profissionais até a biqueira dos boots, Brian May e Roger Taylor estavam presentes, embora Adam Lambert não tenha comparecido à passagem de som. “Parece que ele não foi e estava no hotel. Foi o que ouvi”, revela Pedro. Okay, ÁS sabe perfeitamente que diva não passa som, fica no reservado se refastelando com BB Cream na tez e revigorando as pálpebras com rodelas de pepino. Tudo bem.

Adam Lambert em apresentação com o Queen: grande incognita é saber se o rapaz - fruto do American Idol - é tão babadeiro quando seu antecessor (Foto: Reprodução)

Adam Lambert em apresentação com o Queen: grande incognita é saber se o rapaz – fruto do American Idol – é tão babadeiro quando o vocalista original (Foto: Reprodução)

Resta saber se Lambert vai seguir os passos do seu antecessor, nos idos de 1985. É sabido que Freddie Mercury – elevado a estrela maior do primeiro Rock in Rio – era chegado àquela Festa de Babette homoerótica e passou o rodo na rapaziada carioca, marcando presença inclusive na Galeria Alaska, antigo reduto gay no fervo de uma Copacabana bafônica que não existe mais. Mas isso é papo para cronista da vida mundana dos tempos do Rock Brasil, época de liberalismo pré-politicamente correto.

Pintosa: presença magnéticade Freddie Mercury no palco se transmutou em aparições babadeiras no bafão da noite carioca e caiu na boca do povo (Foto: Reprodução)

Pintosa: presença magnética de Freddie Mercury no palco se transmutou em aparições babadeiras no bafão da noite carioca e caiu na boca do povo (Foto: Reprodução)

Ao que parece, os roqueiros agora andam preferindo um cardapiozinho mais frugal. Conta Monique Benoliel: “caprichamos numa comidinha gostosa e bem feita, ninguém pediu arroubos de outro planeta, nem coisa malucas ou impossíveis, tipo faisão dourado do cume dos Cárpatos”, ela ri. “Montamos um cardápio bacaninha, leve, já que esses ensaios costumam ser exaustivos e o calor africano está rolando solto nesses últimos dias. Fez sucesso um cherne grelhado com molho mediterrâneo (que eles adoraram!) e um franguinho assado com molho de manteiga com ervas, além de um raviolini de ricota ao pomodoro e manjericão”.

Caiu na rede, é peixe! Cherne fez sucesso no banquetinho frugal dos roqueiros old school (Foto: Divulgação)

Caiu na rede, é peixe! Cherne fez sucesso no banquetinho frugal dos roqueiros old school (Foto: Divulgação)

Ela afirma que também não faltaram as verdinhas: mix de folhas com legumes assados nas ervas e salada de quinoa. “Por fim, caprichamos num cheesecake com calda de chocolate”, revela Pedro, dando a entender que, se a turma está comedida na atitude, em sintonia com a caretice do novo milênio, pode ter enfiado o pé na jaca no quesito sobremesa.

Exigência de popstar: em tempos de opulência oitentista, Mercury exigiu no camarim saquê japa aquecido a 20º, um contraste com os dias de hoje, quando a banda se revela mais frugal (Foto: Reprodução)

Frescurete de popstar: em tempos de opulência oitentista, Mercury exigiu no camarim saquê japa aquecido a 20º, um contraste com os dias de hoje, quando a banda se revela mais comedida (Foto: Reprodução)

O Queen é a grande atração do dia de abertura do evento, fechando à meia noite o line up desta sexta-feira (18/9), com ingressos esgotados. O show promete ser antológico tanto para a turma oitentista que esteve na primeira edição do badalo quanto para a garotada fã do rímel de Adam Lambert. A conferir.

Galeria Alaska, no Posto Seis de Copacabana: antigo reduto da turma alegre nos anos 1970/80 - e endereço de boates como a antológica Sótão -, o local hoje amarga o ostracismo teatro transformados em igreja evangélica (Foto: Reprodução)

Galeria Alaska, no Posto Seis de Copacabana: antigo reduto da turma alegre nos anos 1970/80 – e endereço de boates como a antológica Sótão -, local hoje amarga o ostracismo, com teatro transformado em igreja evangélica (Foto: Reprodução)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.