* Por Flávio Di Cola, direto de Cannes

Sofia Coppola,  Joaquin Phoenix, Diane Kruger e o filme sueco The Square“, de Ruben Östlund, foram os grandes vencedores da 70ª edição do Festival de Cannes numa das mais quentes primaveras da Riviera dos últimos tempos, com o calor quase sempre ultrapassando os 30º e a temperatura também envolvendo um enorme esquema de segurança reforçado, em vista dos recentes atentados terroristas na Europa. Acabou que nada aconteceu, a não ser uma ou outra starlet mal vestida, acidente que vez por outra toma mesmo conta do red carpet. Enquanto cronista da vida mundana, ÁS aproveita para fechar a crônica visual do balneário nesta temporada, também comendo o evento pelas beiradas. Confira abaixo!

O início do Festival de Cannes coincide com a reabertura de dezenas de lounges-terrasses ao longo de quase toda a Croisette. Alguns apelam para a cafonice decorativa inspirada em Las Vegas para atrair turistas incautos (Foto: Flávio Di Cola)

E por falar em cafonice, os marqueteiros da 20th Century Fox ganharam de goleada nesse quesito com o monstruoso display exposto na fachada do centenário hotel Carlton para anunciar mais um remake de “Assassinato no Oriente Express”, previsto para estrear no segundo semestre, com direção de Kenneth Branagh e Jonnhy Depp no elenco (Foto: Flávio Di Cola)

A paisagem urbana de Cannes esconde muitos marcos espontâneos de filmes que marcaram a história de sete décadas do festival, como este exemplo de arte urbana que homenageia o filme “O piano”, Palma de Ouro de 1994 (Foto: Flávio DI Cola)

Em Cannes são comuns paradoxos como este: muito dinheiro para pouca rua (Foto: Flávio Di Cola)

A petizada também tem a sua Croisette: no lugar de Haneke, Polansky ou Sofia Coppola, Mickey, Pluto e Clarabela (Foto: Flávio Di Cola)

Por falar em crianças… Ué, não é uma criança? Não, é só uma jornalista japonesa, amor. Aliás, é impressionante como o estilão girlie continua em alta entre as súditas do Império do Sol Nascente… (Foto: Flávio Di Cola)

A cada hora um camburão cheio de releases de assessorias de imprensa vai para o depósito de reciclagem de papel do Palácio dos Festivais. Releases ou relixo? (Foto: Flávio Di Cola)

O Festival de Cannes gera todo um comércio paralelo de atividades de conveniência como este quiosque especializado na venda de fotografias de todas as montées des marches (subida das escadarias) das estrelas dirigida a turistas e jornalistas (Foto: Flávio DI Cola)

Vitrines com fotos de estrelas do cinema são comuns em Cannes, mas nunca quatro de uma vez só e numa confeitaria. Brigitte Bardot, Lauren Bacall e Marilyn Monroe devem estar loucas querendo saber porque Gene Tierney ficou no andar de cima (Foto; Flávio Di Cola)

Essa coisa do red carpet vira uma verdadeira praga diante dos estabelecimentos comerciais de Cannes durante os 12 dias do festival. Será que alguém acha que vai se sentir uma Nicole Kidman pisando num desses tapetinhos improvisados no meio da calçada?

Por falar em red carpet, a bela Raica Oliveira surgiu deslumbrante foi uma das convidadas da première do filme “Happy End”, de Michael Haneke, com Isabelle Huppert. A top mora atualmente na Europa e saracoteou a bordo de um longo ouro assinado por Naeem Khan, completado por joias Boucheron (Foto: Divulgação)

Por falar em red carpet, a bela Raica Oliveira surgiu deslumbrante foi uma das convidadas da première do filme “Happy End”, de Michael Haneke, com Isabelle Huppert. A top mora atualmente na Europa e saracoteou a bordo de um longo ouro assinado por Naeem Khan, completado por joias Boucheron (Foto: Divulgação)

E, por falar em vermelho, até em Cannes rola a vibe rubro-negra. Parece até miragem, mas não é: tem flamenguista também nas velhas pensões da Côte d’Azur (Foto: Flávio Di Cola)

Para esta campanha antitabagista convocaram Quentin Tarantino e Woody Allen. Oi???? Por favor, alguém explique (Foto: Flávio Di Cola)

Almodóvar para Presidente do Júri do Festival de Cannes? Não, da França! Aliás, Almadóvar, assim, com “A” mesmo… (Foto: Flávio Di Cola)

A briga de faca na Croisette entre Chanel e Dior não se restringe aos looks preparados pelas maisons para o red carpet. A disputa é feia e vai parar nas calçadas da Croisette (Foto: Flávio Di Cola)

A última semana do Festival de Cannes pode coincidir com o Grande Prêmio do Mônaco de Fórmula-1, como está sendo o caso deste ano, o que abarrota ainda mais a explosiva Riviera Francesa (Foto: Flávio Di Cola)

Com o Festival de Cannes e o Grande Prêmio do Mônaco de F-1 rolando simultaneamente, a Riviera Francesa pode se tornar alvo preferencial das ações terroristas como a de Manchester de dias atrás. A estação de trem de Nice, como principal porta de entrada da região, está tomada de policiais (Foto: Flávio Di Cola)

Danger Accés Interdit: com todas as precauções com a segurança, estas palavras são que mais se vê e se ouve por aqui (Foto: Flávio Di Cola)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.