*Por Alexandre Schnabl e Andrey Costa

Mal sabíamos. Ou será que desconfiávamos? Fato é que Sasha Meneghel, 20, já andava há muito preparando o terreno para se lançar como modelo bem debaixo do nosso nariz. Lá em 2016, quando a influencer começou a estudar moda na Parsons School of Art and Design, em Nova York, já era possível sentir o burburinho que a presença da loura causaria: como uma estudante, sequer formada, pode não apenas assinar parte da coleção-cápsula da Coca-Cola Jeans para o inverno 2017, como também pisar, causar e lacrar na passarela da 42ª edição São Paulo Fashion Week? Diga-se de passagem, sob os olhares atentos da mamãe-ganso Xuxa e da tia fashionista Solange Meneghel.

Sasha para Coca-Cola Jeans (Foto: Zé Takahashi / Fotosite / Divulgação)

ÁS tava ali, bem pertinho das duas, colado com Solange, parceira de décadas. Bom, alguns diriam que o sobrenome ajudou, mas para a Way Model, agência de modelos que vai cuidar dos passos da moça, ou melhor, do catwalk da gata, a fórmula para ter se mantido em alta e ainda ser um potencial e lucrativo lançamento no mercado, é outra. Agência de beldades como Carol Trentini, Shriley Mallmann, Alessandra Ambrósio, Candice Swanepoel e Marlon Teixeira, entre tantos outros, não é fácil ingressar nas suas fileiras. Pode ser mais fácil plantar bananeira na lua que entrar para a constelação de estrelas da agência sediada em São Paulo.

Criatura e criador? Em clique típico de modelo e descobridor, como acontece desde Luiza Brunet e Humberto Saade, Sasha Meneghel e Anderson Baumgartner posam lado a lado, firmando a parceria (Foto: Divulgação)

“Sasha esbanja personalidade. Está construindo uma carreira brilhante como estilista, e agora como modelo. É um mercado que procura personalidade, conteúdo, pessoas que tenham algo a dizer. Ela já transita neste universo e tem muito a agregar ao nosso mercado.”, rasga seda Anderson Baumgartner, empresário à frente da Way.

Obviamente, ninguém com a dosagem de lítio em dia no corpo seria tolo de comprar briga com a rainha dos baixinhos. Para quê? Por outro lado, administrar tantas carreiras siderais dá trabalho e não faz sentido, tendo tantas estrelas em seu casting, absorver uma personalidade como Sasha no seu sistema solar para eclipsá-la em um buraco negro, não é mesmo? Além da beleza que eclodiu como uma supernova na herdeira de Xuxaem tempos em que as top models concorrem no mercado com personalidades faceiras da internet, juntar o útil ao agradável equivale a alcançar os confins da Via Láctea usando a velocidade de dobra espacial do Senhor  Spock. Sasha não possui 6 milhões de seguidores no Instagram à toa.

Sasha Meneghel já fez campanhas para labels como a H.Stern, em busca de rostos bonitos que agreguem seguidores nas mídias sociais. Com o novo contrato com a Way Model, a filha de Xuxa consolida o passo na carreira (Foto: Divulgação)

Ao adentrar o seleto esquadrão de beldades representadas pela Way,  Sasha, que é estrela de nascença e na infância era tímida, promete virar meteoro num meio no qual, hoje, as supermodelos viraram raridade na rarefeita atmosfera do mundinho fashion, quando a busca por diversidade de biotipos plurais, se por um lado abriu a porteira da democracia das passarelas, por outro, em efeito inverso, colapsou o seu star system. Pelo menos naquele patamar que lançou, de uma só vez, no universo estelar da moda na virada dos noventa, Linda Evangelista, Naomi Campbell, Claudia Schiffer, Christy Turlington, Nadja Auermann e pencas de outras tops pica das galáxias (leia mais aqui). A geração de Gisele foi a última.

Da esquerda para a direita cinco exemplares das supermodelos – que abrilhantaram o desfile da Versace em 2017, homenageando os 20 anos da morte de Gianni Versace -: Carla Bruni, Claudia Schiffer, Naomi Campbell, Cindy Crawford e Helena Christensen, com Donatella no meio. A grife foi uma das que ajudou a catapultar as tops models ao patamar de celebridade hollywoodiana (Foto: Reprodução)

Por ser nome quente no Brasil e mundo afora, e ainda em vista ser filha de uma mega celebridade que começou a carreira como modelo rapidamente catapultada à fama, Sasha Meneghel tem tudo para vingar. O fato de ter nascido celeb, claro, ajuda. Show de Truman. Apesar disso, o meio é cruel e, se ela não segurar a onda – o que é pouquíssimo provável, a começar pelo resultado da recente campanha que fez para a Arezzo -, vira asteroide cuspido para fora do centro planatário. Difícil,porém. Sasha concilia, no seu eixo gravitacional, tanto o apelo de modelo no padrão clássico quanto o carisma de uma nova categoria na astronomia fashion: a dos modelos de internet com muitos seguidores em órbita.

E, como na galáxia da moda nada surge do nada, mas de explosões de cometas, vale lembrar que a estrela Sasha não é modelo de agora, mas desde a tenra idade. Ela começou como top-mirim para a tia Solange, que comandava a grife infantil Bicho Comeu. Aos dois anos de idade, em 2000, a filha de Xuxa fez sua estreia na passarela, no desfile que ainda teve a mãe em meio a 120 crianças, na derradeira Semana Barrashopping de Moda a qual, no ano seguinte, já se chamaria Fashion Rio. Confira abaixo algumas imagens de Sasha posando os desfilando para a label da família (Fotos: acervo Ás na Manga):    

Sasha Meneghel posa para a campanha primavera-verão 2007/08 do Bicho Comeu (Foto: Bruno Castaing / Reprodução)

Ar sapeca: aos nove anos de idade, Sasha já posava com desenvoltura para a grife infantil da família capitaneada pela tia Solange (Foto: Bruno Castaing / Reprodução)

Em 2008, Sasha Meneghel foi a estrela de um desfile infantil no Circo Voador, que subverteu a zona boêmia da Lapa, no Rio, em reduto dos baixinhos  (Foto: Zeca Santos / Reprodução)

Nobreza fashion: ao final do desfile do Bicho Comeu, Sasha Menehgel dá as mãos para a Via Solange enquanto as modelos circundam as duas (Foto: Zeca Santos / Reprodução)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.