Como não amar um evento que apresenta 24 novos talentos da moda de 10 estados, pinçados no Brasil inteiro, fomentando o mercado num momento tão ímpar para o setor? E como não ficar feliz ao constatar que, entre esses mesmos talentos, a dupla representante do Rio, entre os duos formados por estilista e modelista – ou a piração e a elucubração com o pé no chão, digamos –  o Rio de Janeiro se destaca pelo suingue, formado por meninas da Baixada, que frequentam o pancadão do Viaduto de Madureira, Juliana Cavalcanti de Siqueira e Raíssa de Sacramento Campos, duas negras endiabradas, com vastas cabeleiras de cachos capazes de alegrar de Sandra de Sá a Negra Li, orgulhosas de suas origens, plenas de ideias a dar com o pau e, sobretudo, fieis representantes da conexão carioca da gema que une, através do estilão, a Zona Norte à Zona Sul? Foi o que ÁS constatou ao entrevistar no backstage, num get together pouco antes do desfile da 4ª edição do Senai Brasil Fashion, que rolou na noite desta segunda-feira (27/11), na parte externa do Museu do Amanhã, quase um ano e meio após Oskar Metsavaht estrear o espaço com desfile histórico durante o Rio Moda Rio.

Direto de Mesquita para o mundo da moda: Juliana Siqueira (2ª à direita) e Raissa Campos (à dir.) causaram ótima impressão na 4ª edição do Senai Brasil Fashion. De quebra, ainda mostraram que a turma da moda pode, sim, fazer roupa para modelo macérrima, mas lacrar na catwalk com looks estilosíssimos, mas em proporções para gente como a gente! (Fashion Foto: Marcelo Soubhia / Agencia Fotosite / Divulgação)

O evento, criado em 2014 e idealizado pela Samba MKT ao Vivo (leia mais aqui), trouxe minicoleções (põe mini nisso; ÁS é como Cesar, só que bem mais guloso: veio, viu e quer mais dessa turma vencedora!) autorais de estudantes de moda que ganharam a orientação de coaches que são puro luxo: Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer, Lino Villaventura e Ronaldo Fraga, além das colaborações preciosas de Wilson Ranieri (modelagem), Daniel Ueda (styling) e Ed Benini (casting).

Da esquerda para a direita, Lino Villaventura, Lenny Niemeyer, Ronaldo Fraga e Alexandre Herchcovitch são os coaches que orientaram os jovens criadores de moda na 4ª edição do Senai Brasil Fashion. “A gente precisa sempre romper com o mito que os estudantes de moda criam em suas próprias cabeças acerca de nós e nossos trabalhos. Mas, isso é bom!”, reflete Lino (Foto: Gabriel Cappelletti / Agencia Fotosite / Divulgação)

É Lino quem dá a dica do quão gratificante é a empreitada: “É um exercício incrível. Sem interferirmos na identidade de cada dupla, podemos ajudá-las a pensar melhor na coerência da criação e na transposição do croqui para a realidade têxtil. E a inclusão da modelista ao lado da designer, esse ano,  foi uma sacada de mestre nesse caminho. Olha, essa troca toda é magnífica. Oxigena até mesmo a nossa cabeça!”, revela.

Coube à Carina Vilar Queiroz (estilo) e Grayce Fabiola Felix de Farias (modelagem), da Paraíba, abrir o Senai Brasil Fashion. Seu rico trabalho de textura e volumes teve a orientação de Lino Villaventura (Foto: Marcelo Soubhia / Agencia Fotosite / Divulgação)

Carol Trentini abriu o desfile da 4ª edição do Senai Brasil Fashion, que encerrou em boa forma com Isabeli Fontana emprestando sua beleza para a dupla de designer e modelista de Fortaleza, Daiane Joyce de Melo Rocha e Paulo Ferreira Neto (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Sergio Motta, diretor-executivo do Senai CETIQT (Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil), – através do através do qual o evento é realizado –, é categórico: “O setor químico movimentou em 2016 400 bilhões de reais e o têxtil 135 bilhões. É fundamental fomentar o segmento e impulsionar a criatividade. A economia criativa é uma solução significativa para o futuro do Brasil”.

Para o diretor-executivo do Senai CETIQT Sergio Mota, o volume de faturamento anual no setor têxtil justifica o fomento na criatividade (Foto: Gabriel Cappelletti / / Agencia Fotosite / Divulgação)

O RP Beto Pacheco, sanduichado pelas tops Luiza e Yasmin Brunet, faz parte do time de famosos e fashionistas que compareceu ao Museu do Amanhã para conferir visibilidade à rodada 2017 do Senai Brasil Fashion (Foto: Gabriel Cappelletti / / Agencia Fotosite / Divulgação)

Por isso, o objetivo do evento é fortalecer e divulgar a educação profissional de moda com um coaching que capacita alunos e ainda gera visibilidade. Com o mote “Moda é Futuro. Futuro é moda”, o desfile foi inclusivo: além de duplas criativas de lugares distantes do triângulo Rio-São Paulo-BH, como Campina Grande e Criciúma -, a apresentação contou com modelos das comunidades cariocas e paulistas ao lado de tops do calibre de Carol TrentiniIsabeli Fontana, Celine Locks, Renata Kuerten, Barbara Berger, Mariane Calazan e Valentina Sampaio.

Entre Isabeli Fontana (2ª à esq.), Carol Trentini (3ª à esq.), Cíntia Dicker (4ªà esq.), Celine Locks (6ª à esq.), Renata Kuerten (6ª à dir.), Barbara Berger (5ª à dir.) e Valentina Sampaio (4ª à dir.), dream team do passinho elegante na passarela posa para o registro envergando criações das 12 duplas de estudantes de moda contempladas no Senai Brasil Fashion. Segundo Sergio Motta, do Senai CETIQT, foram mais de 300 projetos avaliados (Foto: Marcelo Soubhia / Agencia Fotosite / Divulgação)

O fashion show contou com direção de Carlos Pazetto, trilha de Max Blum e ótimas imagens em vídeos do VJ Spetto. projetadas numa sequência de telas que ajudou a compensar o longo período de vácuo entre cada cartwalk, considerando que eram poucos looks quebrados em 12 mini desfiles em um enorme percurso. Como a opção foi por um desfile lento, Pazetto caprichou nos recursos técnicos: “O cenário do Museu do Amanhã é deslumbrante, já diz tudo. Então, além do espelho d’água, incrementamos no luz. Foram 19 moving lights e cerca de 44 projetores de LED e cada lado”. Valeu.

Pazetto foi responsável pelo desfile da 4ª edição do Senai Brasil Fashion. O diretor de show optou por apresentação que privilegiou o cenário deslumbrante da nova região portuária carioca (Foto: Gabriel Cappelletti / Agencia Fotosite / Divulgação)

Coordenador de comportamento do projeto ao lado de Tatiana Palezi, da Samba MKT ao Vivo, o intrépido consultor Jackson -sempre acompanhado pelo seu indefectível chapéu – amarra as arestas do processo criativo, entre palestras de abertura e reunião com os envolvidos, de alunos de moda aos coaches (Foto: Gabriel Cappelletti / Agencia Fotosite / Divulgação)

Renata Kuerten desfilou no Senai Brasil Fashion a coleção “Interlace”, das goianas Paloma Gomes de Lima (estilo) e Fernanda Pinheiro Marin (modelagem), que repensaram as formas dos anos 1960 ea renda a partir de trabalho que não traz costura, mas encaixes. Pérola tutelada por Ronaldo Fraga (Foto: Marcelo Soubhia / Agencia Fotosite / Divulgação)

ÀS ficou especialmente excitado com soluções têxteis como os patchwork da dupla de Fortaleza, Daiane Joyce de Melo Rocha (estilo) e Paulo Ferreira Neto (modelagem), que trouxe o kitesurf para a passarela, com coach de Ronaldo Fraga, que também orientou outro trabalho impressionante, o de Hellen Formaggini de Morais (estilo) e Simone Teixeira de Jesus Soares (modelagem), que pesquisou a tragédia ambiental de Mariana, com elaborados vestidos de dobraduras em organza tingidos com pigmentos extraídos dos detritos. Tudo redondo, desde o uso de modelos ruivas capitaneadas por Cíntia Dicker para imprimir a percepção de contaminação das água do Rio Doce até o efeito de styling dos boots cobertos de lama.

Cínthia Dicker abriu a trinca de looks criados pelas mineiras Hellen Formaggini de Morais e Simone Teixeira de Jesus Soares, que transforafram em belezura o horror da tragédia ambiental de Mariana causada pelo rompimento das barragens da mineiradora Samarco que tornaram o Rio Doce um ecossistema sem vida (Foto: Marcelo Soubhia / Agencia Fotosite / Divulgação)

Os vestidos em camadas da dupla mineira da 4ª edição do Senai Brasil Fashion seguem o espírito “origami”, e impressiona o tingimento artesanal com pigmentos retirados da lama tóxica. O coaching foi de Ronaldo Fraga (Foto: Marcelo Soubhia / Agencia Fotosite / Divulgação)

Coloridíssimas e confeccionadas em materiais tecnológicos, as peças criadas por Daiane Joyce de Melo Rocha e Paulo Ferreira Neto são um primor de construção, dentre tantas outras de boa cepa, Em geral, a 4ª edição doº Senai Brasil Fashion soube oferecerao público um bom conjunto de jovens talentos (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Impressionante também outro resultado da equipe , com coach de Lino Villaventura. De Minas, Hellen Formaggini de Morais (estilo) e Simone Teixeira de Jesus Soares (modelagem) apresentaram “Encontro de tempos”,  trabalho moderníssimo e elaboradíssimo em textura. De dar água na boca!

Hellen Formaggini de Morais (estilo) e Simone Teixeira de Jesus Soares (modelagem) desenvolveram coleção contemporânea que faria bonito nas araras de qualquer grande metrópole (Foto: Marcelo Soubhia  / Agencia Fotosite / Divulgação)

Os jogos de amplitude e diagonais criados por Hellen Formaggini de Morais e Simone Teixeira de Jesus Soares causaram impacto na plateia do Museu do Amanhã (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Do Paraná, Isabelle Krauze da Silva (estilo) e José Pedro Legnani Assis (modelagem) investiram em coleção ao mesmo tempo clean nas formas e quase maximal nas aplicações. O caimento dos ombros é um primor e o coaching foi de quem? Lenny Niemeyer! (Foto: Marcelo Soubhia  / Agencia Fotosite / Divulgação)

Voltando à dupla carioca, Juliana (estilo) e Raissa (modelagem) levaram ao pé da letra o tema “moda é futuro”. Entre looks pop espaciais com estampas digitais de planetinhas, sóis, cartas de prestidigitação e outros elementos siderais, elas apostaram numa pesquisa que incluiu astrologia, signos ciganos e até tarô. Estampas corridas deliciosas irrompem em fundos azuis profundos em peças repletas de bom humor, a começar pela bolsinha com bola de cristal acoplada, digna de alegrar Mãe Valéria de Oxóssi. Será que esta traz o sucesso amado em três dias?

Pumpumpacum boom tchaka! O pancadão do funk carioca ganha contorno exotérico na coleção que explora tarô e astrologia, criada pela dupla carioca Juliana Siqueira e Raissa Campos na 4ª edição do Senai Brasil Fashion. O resultado? Sexy e para lá de empoderado! (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

“A orientação de Lenny Niemeyer foi importantíssima. Nos proporcionou sacadas que, sozinhas, não teríamos, embora nosso DNA seja completamente diferente do dela”, revela Juliana, cabelão com cachos dignos de campanha da Niely. Pós-graduanda em design de estamparia, a neo criadora faz aula de charme, sacoteia nos bailes funk e é peixes com ascendente em câncer e natural de Mesquita, município emancipado de Nova Iguaçú, assim como a colega Raíssa.

Pumpumpacum boom tchaka! O pancadão do funk carioca ganha contorno exotérico na coleção que explora tarô e astrologia, criada pela dupla carioca Juliana Siqueira e Raissa Campos na 4ª edição do Senai Brasil Fashion. O resultado? Sexy e para lá de empoderado! (Foto: Marcelo Soubhia  / Agencia Fotosite / Divulgação)

Esta, por sinal, mostra que, nos mapas astrais, nem tudo é ipsis literis: como modelista encarregada de transformar a coleção em realidade palpável, a negra vistosa de cabelos cor de Fanta Laranja é gêmeos com ascendente em libra. Muito ar para que precisa ter o pé no chão. Será que  cinturão de asteroides da moça está em capricórnio?

Confira abaixo os demais participantes e seus delírios criativos:

Quem diria, os anos loucos podem render o futuro! Tutelada por Alexandre Herchcovitch, a dupla  de Críciúma (SC) – Agda Manenti Serafim (estilo) e Leticia Rosa Alves (modelagem) – caiu de cabeça na estrela dos nightclubs Josephine Baker para renovar o visual festeiro na passarela do Senai Brasil Fashion. Bom, ficou lindo, mas não rolou banana dance… (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Único duo formado por dois homens, é de Vitória a coleção “Realces Sensoriais” mostrada no Senai Brasil Fashion. No estilo, Ruan Rodrigues Barbosa (assim mesmo com “R”) e João Victor Alves Maia (modelagem) arrasaram numa coleção moderníssima, mas com textura barroca. O coach é de Lino, logo, tudo faz sentido. Se fossem os anos 1980, a turma fashion teria dito que os dois arrebentaram a boca do balão. Nos anos setenta, que botaram para quebrar. Nos tempos da ditadura, que “botaram pra f@d*%!” Como vivemos em outros tempos, vai o mote de hoje: lacraram! (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

No Senai Brasil Fashion, Barbie Berger faz pose de Peggy Moffitt para mostrar o look da mini coleção de Virna Cristina Dantas (estilo) e Alanne de Oliveira Dias (modelagem), outra parceria made in Paraíba no evento, que contou com a supervisão de Lenny Niemeyer. Os neutros suaves e tons pastel gritam deliciosamente, e a opção pelas flats nos pés é acerto… (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Com recortes endiabrados e amarrações com ilhoses, Tarcila Almeida Silva (estilo) e Joice Parra (modelagem) investem em peças intercambiáveis no Senai Brasil Fashion, O resultado é tão urbano quanto São Paulo, seu local de origem, e o coaching é de Herchcovitch.Por isso mesmo, a presença de Mari Calazan na passarela não é acaso. O designer ama a moça de carteirinha, que até já estrelou campanha sua! (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Para fechar, fica a imagem da linda Laura Fernandes – pedaço de mau caminho que é nora de Preta Gil; ÁS adora produzi-la! – em look da turma do Rio Grande do Norte: Dinedso Fonseca (estilo) e Vanessa Pereira Batista (modelagem). Sua coleção agênero, adornada com bordados caicó, revela aquilo que Natal tem de melhor: mesclar a limpeza da alfaiataria com o toque regional, sem ser folk jamais. De lá, Helo Rocha e Wagner Kallieno representam bem essa vertente que agora ganha o reforço das meninas! (Foto: Zé Takahashi / Agencia Fotosite / Divulgação)

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.