Não é só com ajustes nos cardápios que a Rio 2016 anda movimentando o setor gastronômico da cidade: na esteira do evento esportivo e da urbe apinhada de turistas, novas casas começam a pipocar, sincronizando sua abertura com o momento olímpico. Revitalizando uma área que andava quase abandonada – o lado oposto ao 00, na mesma calçada, na Gávea – o chef Daniel Pinho e o empresário Pedro Peixoto (ex-Bar D’Hotel e Bar do Lado) abriram o charmosíssimo La Nave Bistrô e Bar, com cozinha artesanal contemporânea e decoração deliciosa, a cargo do sempre surpreendente Ricardo Campos.

Com toldos, portas de demolição rebaixando o altíssimo teto, contêineres de diesel de navio usados como pufes e até escadas de corda, o espaço é tão palatável quanto cenográfico. Não é à toa que a inspiração foi o clássico felliniano E la nave va(com direito ao rinoceronte do filme dando as caras no logo do restaurante) e, se a fauna que frequentar o local for tão exótica quanto a do filme, o restô promete.

La Nave_Ambiente_crédito Sergio Rio (29)

Rústico, colorido e solar: projeto de Ricardo Campos anima o ambiente do La Nave, restaurante que levanta o espaço até então deteriorado da fachada do Planetário da Gávea, no Rio (Foto: Sergio Rio /Divulgação)

La Nave_Daniel Pinho e Pedro Peixoto_Crédito Sérgio Rio (2)

Da esquerda para a direita, chef Daniel Pinho e o empresário Pedro Peixoto celebram o alto astral do La Nave (Foto: Sergio Rio /Divulgação)

Já na entrada, os pãezinhos artesanais da casa e as croquetas se encarregam de levar os comensais a uma viagem sideral, assim como as linguicinhas artesanais. Tudo a ver, considerando a proximidade com os saturnos e júpiteres do Planetário da Gávea, dentro do qual a casa se situa. Acepipes leves e naturais, pois Daniel valoriza os pequenos produtores e já até planeja abrir uma hortinha bem ali do lado, em duas etapas, para colher os próprios temperinhos e hortaliças e ainda promover visitas escolares.

La Nave

Risoto Navegantes de frutos do mar , no La Nave (Foto: Rodrigo Azevedo / Divulgação)

Do pratos degustados, ÁS recomenda o nhoque de banana-da-terra ao cumaru com croûtons de bacon e shiitake fresco. Ou a bandade de bacalhau com batata doce e tapenade gratinada e ovos em crosta de brioche. Melhor que isso só banho noturno de praia nu em Morro de São Paulo. E mesmo assim, se a companhia do jantarzinho (ao almoço, a casa abre cedo) for melhor que a do mergulho à la Lagoa Azul, ainda, é melhor ficar com a primeira opção.

Na sobremesas, o quindim da casa e o bolo de chocolate com sorvete de frutas vermelhas se encarregam de dar aquela adoçada esperta na boca, sem excesso de açúcar.

Já as bebidinhas são um caso à parte, “com 80% dos insumos dos coqueteis produzidos na casa”, afirma o responsável por esse setor, Bruno Limah (algum parentesco com Monsieur Limah, precursor dos DJs e celebrity carioca nos anos 1970? A investigar…). Entre sementes e raízes usadas nos 16 drinques da carta, espuma de tamarindo, paçoca e xaropes mil. Mas, relaxe: o resultado é nada xaropento, mas refrescante, azedinho muitas vezes. E as sangrias e clericots da casa são o que há. Quantos aos vinhos, o sommelier Paulo Nicolay aposta nas uvas de países solares como Portugal, Espanha e Argentina.

Numa outra levada bem no burburinho do Lido, o Seu Vidal Sanduicheria aposta na revitalização da meiuca de Copa com uma casa que também chama atenção pelo visual, projetada por Claudio Gonçalves. Instalada num antigo depósito de bebidas que foi repaginado e agora tem até um lounge meio privê, a casa de comidinha de rua tem como vedete um food truck instalado lá dentro, onde são finalizados os sandubas nos moldes daquilo que Roberta Sudbrack fez no Leblon dos borracheiros. Mas o acabamento plástico entre o trailer e o entorno acabou ficando, no Seu Vidal, muito mais confortável e bem acabado, com destaque para o painel grafitado. Pintado por Ana quem?!? Ana Luiza Vidal, claro, irmã do dono. Tudo em casa.

Seu Vidal_Saladas Seu Vidal e crocante_Cred Tomas Rangel (1)

Saladinhas no copo: programação visual do recém-aberto Seu Vidal traz el bigodón do proprietário Pedro Vidal no logo (Foto: Tomás Rangel /Divulgação)

À frente do business, Pedro Vidal, com sua simpatia e bigodinho de seu xará mexicano, Pedro Armendáriz (não sabe quem é? Dá uma googlada, amor!). Ele é da terceira geração da família que fundou a tradicional confeitaria Itajaí (um dos melhores éclairs de chantilly do Sistema Solar) e vem de mesa em mesa fazendo um corpo-a-corpo esperto, no qual não só atende bem, como conta causos. Isso já vale o programa e o seu visual à la amigo da onça é folclórico.

Seu Vidal_Pão australiano, parma, brie e maionese de brasa_Cred Tomas Ra...

No Seu Vidal: pão australiano, parma, brie e maionese na brasa (Foto: Sergio Rio /Divulgação)

Pães rústicos fornecidos pelo O Pão embalam gordices difíceis de dizer não. O Sanduba de massa de pão de queijo com recheio de linguicinha suína artesanal com molho de catupiry ou parma com brie e maionese de brasa, por exemplo, deve fazer os nerds lembrarem a terrível máxima dos temíveis Borgs, de Star Trek“: resistir é inútil.

E o sanduíche de mortadela, queijo meia cura e maionese cítrica é irado! Mas, quando for, não deixe de provar as batatinhas rústicas com alecrim, bacon e molho de mostarda com mel.  Para se lambuzar feliz. Tudo, nesse cardápio inaugural, assinado pelo chef Philipe Martins.

Seu Vidal_Batatas ao murro_Cred Tomas Rangel

Moda atualmente na cidade, com até versão em fast foods como o Mac Donald’s, as batatas rústicas também dão o ar de sua graça no Seu Vidal. Mas que graça, hein! (Foto: Tomás Rangel /Divulgação)

Seu Vidal_baguete rústica, mortadela, queijo meia cura e maionese cítric...

Baguete rústica com mortadela, queijo meia cura e maionese cítrica: no Seu Vidal, que acaba de abrir em Copacabana (Foto: Tomás Rangel /Divulgação)

Seu Vidal_Pão com linguiça e catupiry_Cred Tomas Rangel

Pão de linguiça com catupiry: uma das gordices irresistíveis do Seu Vidal (Foto: Tomás Rangel /Divulgação)

Na sobremesa, não despreze jamais as rabanadas com sorvete, sob o risco de se arrepender pelo resto da sua vida. Crocância externa perfeitinha e molhadinho no miolo bem no ponto.

Quanto às bebidas, o beer sommelier José Raimundo Padilha privilegia somente rótulos produzidos no Rio e a incansável Deise Novakoski mostra que por trás de  uma seleção só de vinhos brazucas deve existir a mulher certa. “Optamos por prestigiar o que é nosso. A diversidade climática do Brasil nos proporciona vinhos de personalidades únicas. Queremos mostrar isso para os brasileiros e para os turistas”, arremata Pedro, com um semblante bigodudo do qual é impossível desviar o olhar.

Serviço

La Nave Bistrô e Bar

Endereço: Rua Vice-Governador Rubens Berardo, 100 – Gávea.

Tel: (21) 3259-0255.

Capacidade: 80 lugares.

Horário: de terça a sexta, Almoço executivo de 12h às 16h. Jantar de 19h00 até 00h; e Sábado, de 19h00 até 01h.

Cartões de crédito: Todos. Cartões de débito: Todos. Cartões de refeição: Todos. Tíquetes: Todos.

www.lanave.com.br

 

Seu Vidal

Endereço: Rua Ronald Carvalho, n°275/loja A, Copacabana.

Metrô Cardela Arcoverde a menos de 500 metros

Tel: (21) 3439 – 7719

Capacidade: 30 lugares sentados

Horário: de terça a domingo, de 12h às 22h.

Cartões de crédito : Visa / Master / American Express. Cartões de débito : Visa/ Master

Cartões de refeição e tíquetes: VR

Estacionamento e manobrista: não

Entrega em domicílio: Não

Wireless: Sim

www.sanduicheriaseuvidal.com.br

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.