Rata de praia, vegana, surfista, natureba, mas com uma beleza Brigitte Bardot, a top transgênero mais falada da vez, Valentina Sampaio, primeira capa da Vogue Paris e sucesso da SPFW desde a edição anterior é avessa a estereótipos e a menina mais delicada da moda brasileira. A modelo deu umazinha exclusiva para o ÁS, antes de ingressar nas passarelas da moda praia de Amir Slama, para quem desfilou com exclusividade nesta noite de quinta-feira (16/3). Ela bateu um papo caloroso e mostrou que é quase um marrom glacê de tão doce. Tímida, extremamente feminina, antenada e com um olhão e bocão de arrasar, ela tem tudo para inspirar a mídia a aprender a lidar com uma transexual e enxergá-la como profissional, indo além da questão de gênero e falando do que ela tem a mostrar.

De sorriso fácil, mesmo tímida a top confessa que seu bofe dos sonhos tem que ter pé na areia (Foto: Gabriel Barrera / StudioRGB para Ás na Manga)

Durante a entrevista, a cearense de 20 anos, escorpiana de 10 de dezembro que não sabe seu ascendente e foi criada na pequena Aquiraz (CE), não se deslumbra com as viagens e conquistas do cenário da moda, tem gostos simples e é empenhada em tudo o que faz. Começou a ganhar o mundo há pouco tempo, quando passou a fazer parte do dreamteam de beldades da L’Oréal ao lado de famosas como Isabeli Fontana e Grazi Massafera, que se encantou com a moça e virou sua amiga.  Um senhor marco, já que até então nenhuma trans jamais sequer sonhara ser possível uma trans em ser garota-propaganda da Número 1 dos cosméticos. Desde então, tem viajado para lugares que jamais imaginou que viria a por os pés, inicialmente quase sempre através da empresa cosmética (“Estive em Nova York e adorei, mas fiquei uma semana em Londres fazendo um trabalho e, apesar do pouco tempo de folga, ameeeeei”, ela conta).

Primeira modelo transgênero a estrelar a capa da Vogue Paris, é a segunda vez que a beldade desfila para o estilista dos biquínis bacanudos e disse que se sente extremamente a vontade com o corpo e principalmente de roupa de praia, já que desde de pequena é bichinho de areia. “Amo praia, cresci nela e vivo nela”. Valentina tem nome glamouroso, e é definitivamente uma garota

Cover girl com plus a mais: Valentina Sampaio é a primeira modelo transgênero a estampar a capa da Vogue Paris neste mês de março (Foto: Reprodução)

Todo mundo procurou, mas não achou! Direto de Paris para a 43ª edição da SPFW, a top trans Valentina abriu o desfile de Amir Slama envergando um biquíni selvagem na noite desta quinta-feira (16/3) (Foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE / Divulgação)

 

AS: Você tem algum ritual específico quando vai desfilar ou fotografar moda praia?

VS: Não tem distinção para mim, o ritual é o mesmo de quando vou desfilar de roupa. A minha preparação é a mesma para a vida, de ter uma rotina saudável. Tenho uma dieta vegana, nunca comi carne desde criança, como mais frutas e legumes, mas gosto de doce, sou louca por pudim de leite.

AS: Sendo de Fortaleza, sempre se sentiu a vontade na praia, né?

VS: Eu vivia na praia e vivo até hoje. Sempre que posso estou na praia e essa é minha praia.

AS: Para onde você gostaria de viajar a trabalho ou passeio?

VS: Bali.

AS: Bali porque e cidade praiana?

VS: Claro, eu surfo!

AS: Algum estilista para que você gostaria de desfilar?

VS: Vários, mas escolheria Jean Paul Gaultier como uma referência maior. Não tenho preferência quando o assunto é trabalho. Quem quer que me contrate eu vou receber com muita dedicação e respeito.

AS: Você é mais inclinada para TV ou cinema?

VS: Cinema. Quando eu era criança gostava de brincar com personagens de cinema. Se eu não fosse modelo seria algum tipo de artista. Gosto muito da arte, expressão, criação. Ainda vou terminar minha faculdade de arquitetura.

AS: Quem é uma referência para você no cinema?

VS: Brigitte Bardot, gosto muito também da Meryl Streep, mas a Brigitte é tudo, eu amo, curto tudo dela.Dizem que me pareço com ela desde criancinha…
AS: O nome Valentina foi escolhido inspirado em alguém?

VS: Não, mas pensei nele desde bem pequena. Sempre me vi mulher desde bem pequena mesmo, nunca me senti outra coisa.

AS: Tem pessoas que quando se descobrem mais felizes em outro gênero escondem isso por um tempo e outras que mostram de cara, como vc foi com você?

VS: Eu sempre me senti e mostrei logo, mas de uma forma muito natural mesmo. E sempre transmiti isso sem exageros, sempre fui delicada, feminina e quietinha no meu canto, mostrando um posicionamento feminino mesmo, então nunca atrai agressividade ou desdém. Acho que isso fez com que as pessoas me tratassem com respeito e me vissem como mulher.

AS: Sua família apoiava?

VS: Sim, sempre, eu não seria a mulher que sou hoje sem minha família, eles são a minha base. É uma família sólida, somos sete irmãos e avós, tios, moram todos pertinho e convivem bem. Meus pais são casados até hoje, trabalham juntos com turismo, que é base econômica da minha cidade, Aquiraz, interior do Ceará. Nem asfalto tem, é pura areia e pedrinhas. Uma maravilha de lugar!

AS: O que te deixa mal humorada?

VS: Ficar sem dormir, durmo cedo, coisa de nove horas da noite. Procuro dormir por noite as oito horas indicadas, mas se eu pudesse dormia muito mais (risos).

AS: O que escuta no seu podcast?

VS: Gosto das mulheres com atitude, Beyonce, Rihanna, Lady Gaga, Miley Cirus, Pablo Vittar. Me preocupo antes com a atitude da cantora do que com seu repertório…
AS: Quem é sua referência trans?

VS: Engraçado, quando se pergunta isso me vem mais forte a Roberta Close, desde pequena, a minha família acompanhava e eu sempre achei ela linda. Penso nela quando penso em referência, talvez seja minha natureza clássica. Lembro muito também da bond girl Caroline Cossey. E como não citar o Pablo [Vittar]? Adorei as imagens dele no carnaval com aquela roupa preta, ele tem uma energia incrível! Gosto de gente assim: atirada! Mesmo eu não sendo.

AS: Quantas malas você usa para viajar? Você é vaidosa?

VS: Atualmente viajo tanto trabalhando que realmente moro em lugar nenhum a não ser nas malas, rs. Nada! Uso uma mala só, duas no máximo. E quase não uso maquiagem, carrego mais cuidados, como hidratante e protetor. Sou bem básica para me vestir, com alguma pegada rocker [aponta para a jaqueta perfeito que recober a t-shirtf enquanto conversa com ÁS]..

AS: E qual seria o look dos sonhos para usar com o bofe da sua vida?

VS: Um biquini e uma prancha, descalça com areia no pé e cabelos ao vento, rs..

AS: Então o bofe da sua vida tem que ser surfista?

VS: Seria bom, iríamos surfar juntos.

AS: Você é low profile mesmo!

(risos e carinha de quem concorda)

AS: Tem alguém em sua vida? Quem é?

VS: Olha, tem mas isso eu não conto… [desconversa com olhar carente de Lindinha, das Meninas Superpoderosas].

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.